sexta-feira, 2 de julho de 2010

Comer, Orar e Amar de Elizabeth Gilbert

Como não tenho uma cópia deste livro, gostaria de agradecer, uma vez mais à minha amiga Sílvia pelo empréstimo.
Acho que devia ter comprado um para mim, agora estaria cheio de anotações, cantos dobrados, pequenos bilhetinhos e post-its.
Controlei-me ao máximo para não fazer ao livro de outra pessoa o que habitualmente faço aos meus.

SIM, eu sou daquelas.....eu dobro cantos, eu vinco lombadas.....cada livro é uma história, com cada um deles fiz uma jornada, partilhei risos e lágrimas e não acham que eles devam manter um ar intacto como se tivessem saído da livraria.

Eu gosto dos livros usados, gosto de coisas sublinhadas, de comentários, de cantos comidos, de lombadas dobradas, de marcadores com mensagens, TUDO....tudo que mostre que aquele livro já fez parte das nossas vidas e de todas as pessoas que o leram.

Este livro seria o exemplar ideal para isto.
No entanto, este ficou em condições ao regressar à sua "dona".
Agora sobre o que nos fala "Comer, Orar e Amar"

Aos 34 anos, Elizabeth Gilbert, escritora premiada e destemida jornalista da GQ e da SPIN, descobre que afinal não quer ser mãe nem viver com o marido numa casa formidável nos subúrbios de Nova Iorque e parte sozinha numa viagem de 12 meses com três destinos marcados: o prazer na Itália, o rigor ascético na Índia, o verdadeiro amor na Indonésia. Irreverente, espirituosa, senhora de um coloquialismo exuberante, Elizabeth não abandona um minuto a sua auto-ironia e conta-nos tudo acerca desta fuga desesperada ao sonho americano que começou no momento em que encontrou Deus.

Quando fez 30 anos, Elizabeth Gilbert tinha tudo o que uma mulher americana formada e ambiciosa podia querer: um marido, uma casa, uma carreira de sucesso. Mas em vez de estar feliz e preenchida, sentia-se confusa e assustada. Depois de um divórcio infernal e de uma história de amor fulminante acabada em desgraça, Gilbert tomou uma decisão determinante: abdicar de tudo, despedir-se do emprego e passar um ano a viajar sozinha. "Comer na Itália, Orar na Índia e Amar na Indonésia" é uma micro-autobiografia desse ano.

O projecto de Elizabeth Gilbert era visitar três lugares onde pudesse desenvolver um aspecto particular da sua natureza no contexto de uma cultura que tradicionalmente se destacasse por fazê-lo bem. Em Roma, estudou a arte do prazer, aprendeu a falar Italiano e engordou os 23 kilos mais felizes da sua existência. Reservou a Índia para praticar a arte da devoção. Com a ajuda de um guru nativo e de um cowboy do Texas surpreendentemente sábio, Elizabeth empenhou-se em quatro meses de exploração espiritual ininterrupta. Em Bali, aprendeu a equilibrar o prazer sensual e a transcendência divina. Tornou-se aluna de um feiticeiro nonagenário e apaixonou-se da melhor maneira possível - inesperadamente.


Ler mais em: Portal da Leitura

E é assim, começamos com alguém que está completamente danificada e vê nesta viagem a cura de que tanto precisa.
Na minha opinião, a parte de Itália é a melhor mas eu sou suspeita porque quero ir a Roma!
A India remete mais à espiritualidade, à meditação, yoga....custa a ler mas faz-se bem pelos comentários óptimos de uma das personagens e muitos da própria escritora. O desejo de chegar à última parte, aparece porque sabemos que algo interessante vai acontecer em Bali. Queremos acima de tudo saber com o vai acabar a jornada desta personagem em que muitos nos conseguimos rever. Falo por mim!

A parte de Bali é óptima, e eu dei por mim, durante o livro todo, a pensar....melhor, a visualizar todas as cenas, todas as cores, as caras das personagens e as paisagens.
Este meu "poder de visualização" é ajudado pelo factor de o filme estar a estrear dentro de algumas semanas e de eu já saber que são os actores para cada papel.

Antes de vos mostrar o trailer devo dizer:
Cada um tira a lição que quer e o livro ensina umas quantas.
Acima de tudo, este livro permite introspecção, incentiva-nos a parar e pensar em como estão as coisas na nossa vida.
Digamos, incentiva-nos a uma avaliação, e para mim, isso é sempre uma mais valia.

Estreia em Agosto :)
Espero que seja tão bom como o livro.

Livro lido em Junho/2010

Sem comentários :