terça-feira, 20 de julho de 2010

Fenómeno Pennac

Foi assim que foi considerado por muito após a sua obra vender inúmeras cópias e ter atingidos lugares de topo durante meses...

Daniel Pennac foi um dos autores sobre quem muito dissertei em tempos de faculdade, talvez tenha escrito, feito e refeito inúmeras aulas inspiradas pelos Direitos do Leitor, originalmente legislados por este romancista dos prazeres da leitura.

Frases como "ler provoca elevada independência" ou "quem lê nunca está só" não são nada comparadas com as  ideias extremistas que Pennac nos transmite.

Um livro pequeno, mas com uma auto-estima e uma personalidade que muitos romances de 500 páginas não têm! Um livro obrigatório de ser lido, especialmente para quem sente que tem ou que quer, ou deveria... ter uma relação mais próxima com a leitura.

Pais, professores, avós, educadores, terapeutas, explicadores... um universos infindável dos que, quase que obrigam, crianças e jovens a gostar de ler... por favor, ofereçam este livro, discutam, ponham ideias na mesa, comam e bebem em torno deste livro.

A leitura é uma relação, é uma sociedade, é um grupo... em larga escala é global, é o Mundo, por isso conheçam os vossos direitos e usufruam ao máximo das vossas possibilidade.

Ler é conhecer, é despertar, é viver!

Apenas faltou a Daniel Pennac, legislar que quem lê tem:

- o direito de dobrar cantos às páginas;
- o direito de apontar frases, caretas, bonecos, riscos, sinais nas margens das páginas;
- o direito de usar os livros como agenda, como guarda-"tralhas"
- enfim, o direito de fazer de um livro um amigo!

Sem comentários :