terça-feira, 27 de julho de 2010

Garry Willis, provocante!

É exactamente isso, provocante! O Esquire foi assim que o classificou e eu concordo plenamente. "O que Jesus quis realmente dizer!" é fantasticamente diferente, pelo menos do que andava a ler sobre Jesus. Quem passa de livros como os de Augusto Cury onde a personalidade, a atitude e a palavra de Jesus não é posta em causa, antes pelo contrário é glorificada, seguindo uma linha de pensamento já conhecida e aceite, Garry Wills vem fazer exactamente o contrário.


Jesus era um homem de margens, nunca verdadeiramente integrado, sempre "fora do contexto".


Os livros sobre Jesus, a Bíblia ou a palavra sagrada são para mim ainda um tema encoberto e do qual estou disposta a ler bastante, tanto numa perspectiva mais clássica e quase missionária, que tanta fazer de todos cristãos ou também numa perspectiva mais modernista, encarando Jesus como um homem entre outros com uma história controversa e com muito por esclarecer.

O livro é sem dúvida brilhante, mas a mim, que ainda procuro muita informação, tem fases que me baralha, tem outras que me deixa a pensar e tem outras que me distraí e me perco, sem dúvida foi  mais um bom título para continuar a ler sobre esta temática.

Sem comentários :