segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Quando Nietzsche Chorou, de Irvin D. Yalom


O que fazer quando um dos maiores filósofos do Século XIX está prestes a suicidar-se por desespero com as fortes dores de cabeça que sente!?
E qual é a relação entre este livro e duas amigas que sofrem de valentes dores de cabeça e insónias, equivalentes à magnitude e à importância de tal filósofo!?
Seremos nós (eu, cris rodrigues e tu, philipa amaral) pessoas adiantadas no tempo? será que esta não é a nossa era!? O nosso século? Ao invés do adiantamento, será que já viemos tarde!?
Tu talvez já tenhas descoberto a razão das tuas dores de cabeça e insónias - filosofia a mais ou falta dela? ;)
E a resposta a esta questão - seremos nós pessoas deste tempo!?!?!? ;)
Eu começei hoje a descobrir... as primeiras 50 páginas já foram... obrigada pelo empréstimo!

Entretanto Nietzsche por Munch, espero que também aprecies Philipa.
E quanto ao filme - viste? virão? É mais um para acrescentar à lista, mas só depois da leitura.


"Absolutamente viciante. Uma história comovente e bem concebida, que oferece ao leitor que gosta de "romances de ideias" o maior prazer dos últimos tempos."
WASHINGTON TIMES


Quando Nietzsche Chorou
Edição/reimpressão: 2005
Páginas: 320
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789728839352
Sinopse

UMA HISTÓRIA MARAVILHOSA ACERCA DO AMOR, DA REDENÇÃO E DO PODER DA AMIZADE Friederich Nietzsche, o maior filósofo da Europa, está no limite de um desespero suicida, incapaz de encontrar cura para as insuportáveis enxaquecas que o afligem. Josef Breuer, médico distinto e um dos pais da Psicanálise, aceita tratar o filósofo com uma terapia nova e revolucionária: conversar com Nietzsche e, assim, tornar-se um detective na sua cabeça. Pelas ruas, cemitérios e casas de chá da Viena do sec. XIX, estes dois gigantes do seu tempo vão conhecer-se um ao outro e, fundamentalmente, conhecer-se a si próprios.E no final não é apenas Nietzsche que exorciza os seus fantasmas. Também Breuer encontra conforto naquelas sessões e descobre a razão dos seus próprios pesadelos, insónias e obsessões sexuais. Quando Nietzsche Chorou funde realidade e ficção, ambiente e suspense, para desvendar uma história superior sobre amor, redenção e o poder da amizade.

Sem comentários :