sexta-feira, 16 de novembro de 2012

O autor da liberdade de expressão


Excerto do diálogo diário entre irmãs, sobre o seu maior assunto: Livros ou melhor
blogue...


Elsar: Cris - deixo para ti o post sobre os 90 anos de Saramago?
(... e passa-me vários links, que partilho para mais informações)

Efeitocris: ... qt a Saramago, queres q eu faça um post sobre o autor - a pessoa - !?!?!
o que queres? tens ideia?
...
Elsar: Saramago, hoje comemora-se o Dia do Desassossego, em memória do autor pelo que seria o seu 90º aniversário... há eventos na Casa dos Bicos - Fundação... era só para estar "actualizada com o mundo dos livros" :P

Efeitocris: qt a saramago, deixa lá!!!
to sem inspiração e o pouco de li dele, entediou-me tanto qt gostei!?!?!
gosto das ideias caóticas dele... assim soltas, ao acaso...
saramago encaixa-se melhor quando espalhado pelas paredes aqui e ali


... e entretanto aquilo que ia ser um e-mail de desabafo foi compondo-se como aquilo que achei quase um lixo extraordinário...

...
... esta é a minha forma de relembrar Saramago e alertar para as comemorações em seu nome:

talvez hajam coisa que devam ser amadurecidas com a idade, talvez Saramago chegue com a idade... quem sabe ainda não estou assim "tão velha"... Saramago ainda é muito o Memorial do Convento, de atazanados tempos de escola e de obrigação da sua leitura... mas Saramago é também um excelente filme com Jullianne Moore ou não fosse ela a atriz que é e com a dignidade excepcional que coloca em cada interpretação... assim incapaz de ler o ensaio sobre a cegueira, sem que antes as imagens do filme se escurecerem, se esbatam, já que esquecer será difícil, pois Fernando Meirelles é exímio no seu trabalho, pois os filmes que vi e que têm a mão dele, não é um, nem dois, nem três... são todos "de se lhe tirar o chapéu"... mas voltando a Saramago... vou antes reduzir-me ao Memorial do Convento, A Viagem do Elefante e à Maior Flor do Mundo (sim... porque as Intermitências da Morte continuam por ler)
... para vos dizer sinto sempre que me escapa qualquer coisa, qualquer coisa que fará o click e me fará dar sentido a cada obra de Saramago... ou será antes esse o intuito do autor!? Pairar nas nossas mentes, a ad eternum até percebermos que não se trata de nos ter escapado algo, antes sim que "esse algo" reside em nós e na compreensão que cada leitor faz das palavras de Saramago - será isso!? ... ou não fosse Saramago o autor da liberdade de expressão!?!?


Quero ainda destacar o livro O Ano da Morte de Ricardo Reis, em forma de roteiro pela cidade de Lisboa, quem sabe um dia...


Boas leituras e bom fim de semana...

2 comentários :

Liliana Lavado disse...

Sempre tive dificuldades com a pontuação (ou falta dela) nos livros do Saramago. Mas não se pode negar a grande influência do escritor :)

efeitocris disse...

é verdade!
creio que as suas obras são um marco na literatura do nosso país.
e apesar de se pensar que nem assim tanta gente o lê, não é bem assim!!!
o próximo será intermitências da morte - já leste Liliana?

e já agora obrigada pelo comentário.

efeitocris