quarta-feira, 14 de novembro de 2012

O filme: O Retrato de Dorian Gray


Após a leitura viciante e quase tenebrosa das ideias e manhas da eterna juventude de Dorian Gray chegou a vez de ver o filme, que me havia passado completamente ao lado.



E como não podia deixar de ser, o livro supera, totalmente o filme, especialmente na riqueza de diálogo do lorde Wotton, essencialmente aqui é uma perda de carisma muito grande, mas tal influência e personagem que ocupa no livro. À parte dos detalhes e dos acontecimentos dispares entre livro e filme, entende-se que os mesmos são incluídos na obra da 7ª para evidenciar certos aspectos do foro sexual e de deboche e assim ganhar audiências, não degradam o argumento, mas também não lhe acrescentam valor.

De salientar a imagem e fotografia deste filme, já que isso sim está francamente divinal e faz realmente jus à componente de beleza eterna que o livro tanto debate. E de reparar o quanto a imagem de Dorian Gray evoluí à medida medida que a sua alma se corrói e onde inicia a sua auto-destruição.

Eu sei que estas coisas não se fazem, mas qualquer um que vá ver o trailer, tem logo como seguerido esta ligação, por isso aproveitem e aproveitem o fim de tarde ou sirvam de sobremesa após o jantar de hoje.

Bom resto de semana e neste caso...
Bom filme!

PS - Mas lembre-se, se não leu o livro, vai amar o filme, mas quer um conselho - leia o livro, nunca se esquecerá dele!


Sem comentários :