quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Auto-retrato de um escritor, enquanto corredor de fundo, Haruki Murakami

MURAKAMI... primeiro o autor, depois a obra ;) ou será primeiro a corrida e depois a escrita!?


Uma vez que retornei à biblioteca, lembrei-me de um livro que havia lido trazido de lá e vim procurá-lo aqui ao blogue, mas, como a regularidade e dedicação ao blogue não era, nem de longe nem de perto, a que existe agora, haviam muitos livros lidos que não chegavam ao blogue e foi o caso de "Auto-retrato de um escritor, enquanto corredor de fundo"... é claro Murakami!

Havia lido recentemente "Sptunik, my love" e havia ficado encantada. Dediquei-me a conhecer um pouco mais o autor, as suas incursões pelo jazz, a decisão de se dedicar à escrita, a sua divisão geográfica entre diversos locais, nomeadamente o Hawai... dificuldades de lidar com o clima aqui e ali, obrigam-no a viajar entre países, bebendo dessas viagens inspiração tanto para a sua escrita como motivos para o fazerem correr.

A dedicação à escrita trouxe também o gosto por correr para a vida actual de Murakami. Mas isso a gente só percebe lendo o livro, percebendo a humildade com que o autor aceita a entrada da dor e do sacrifício que qualquer corredor de fundo se deve permitir a ter e a sentir. Correr é gostar da dor, o próprio autor o afirma. Mas correr não é como a culinária, não tem pesos, medidas, ingredientes e receitas que se podem colocar num livro e ter sempre sucesso se seguirmos tudo à risca. Correr é acima de tudo arriscar, sentir os limites, sentir o peso das nossas decisões, ali mesmo, na dureza do asfalto, no suor que pinga do nosso corpo... correr é viver e a vida nem sempre é bela de se ver.
Correr é aprender que o prazer bem no fim e que só depois da luta vem o reconhecimento. Será que correr é uma analogia para o lançamento e obtenção de sucesso para um escritor!?

Murakami tem-me surpreendido sempre, de 3 ou 4 livros que li dele, todos se mostram profundos, pensativos, tocados por um dom - será que a constância da corrida na sua vida como escritor o têm tornado   num melhor usuário das palavras!? Num poeta urbano que expande a história dos que o envolvem e os exalta nas linhas que lemos e que amamos!?
A leitura deste livro chega a ser técnica, desde a organização dos treinos, a disciplina e a metodicidade com que o autor se organiza para as provas, a sua dieta... ficamos é sempre na dúvida, pelo menos eu fiquei, se todo este foco não serão em sim, uma forma de obter concentração e mestria para o próprio acto de criação que é escrever!?

O livro, a obra, o autor, o Japão, as viagens, as analogias, as decisões... são todos pontos fulcrais e decisivos quando estamos a ler pela mão de Murakami.
Eu diria que a escrita deste autor está tão viva quanto vivos estamos nós quando corremos.
Nunca corri tanto quanto o autor, nem sei se algum dia correrei, mas na época quando li este livro tenho a certeza que ganhei uma motivação extra para as minhas primeiras provas, uma primeira de 8/9 kms, seguida da Corrida da Lezíria em 15kms e quinze dias depois a meia-maratona da ponte 25 de Abril ;)
Eu posso dizer: EU JÁ FUI MUITO FELIZ A CORRER!
E vocês?
Boas leituras e boas corridas,

Sem comentários :