Pesquisar neste blogue

A carregar...

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O homem que sonhava ser Hitler



Com uma escrita bastante simples
Tiago Rebelo consegue prender-me desde a primeira página
Não fosse este um tema que eu adoro...
além do tema, amei o desfecho do livro...
nem nos meus sonhos mais torcidos eu decifrava este policial...
Amei que o autor tenha conseguido incluir no livro... 
acontecimentos actuais e sermos capazes de ao ler o livro 
ser quase como abrir o jornal


O livro leva-nos ao "ponto rebuçado"...
devido a ter personagens tão bem construídas..
sentindo por algumas ÓDIO...
e já de outras apenas... PENA...
foi quase como se fossem nossos vizinhos...
nossos familiares... como se estivessem ali ao nosso lado.

O Homem que sonhava ser Hitler, faz-nos saltar os sentimentos mesmo para «a flor da pele»...
e no fim....
bem o fim deixo para vocês lerem... 

Prémio Literário Alves Redol



Na tentativa de estarmos atentas às iniciativas literárias que acontecem no nosso concelho, o nosso blogue tem todo o gosto em divulgar, que a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira / Divisão de Bibliotecas, está a proceder à divulgação/realização do novo Prémio Literário Soeiro Pereira Gomes, destinado a alunos do 3º ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário.

Indo ao encontro das recentes diretrizes de combate à iliteracia, emanadas da comissão Europeia /EBLIDA (Europian Bureau of Library, Information and Documentation Associations), esta iniciativa pretende incentivar o gosto pela escrita e pela leitura, através do estímulo à criatividade literária dos jovens, expressa na produção de contos e poesia.

Porque acreditamos no poder da leitura e no efeito que os livros têm em todos nós, decidimos divulgar tal iniciativa. Para acederem a informação de outros anos, vejam no site.

Para mais informações, contactem:

Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira
Rua do Curral, 8 | 2600-134 Vila Franca de Xira
Tel: 263 271 200 | Fx: 263 270 225
E-mail: secretaria@bmvfx.net

Dia das Livrarias

a foto é da Livraria Lello no Porto (escolhida por ser uma das minhas preferidas)

Portugal associa-se hoje ao Dia das Livrarias


por Lusa, texto publicado por Paula Mourato


Cerca de uma dezena de livrarias portuguesas associa-se, hoje, ao Dia das Livrarias, um evento organizado em Espanha, que se estende a Portugal por iniciativa da Fundação José Saramago e do movimento Encontro Livreiro. 

De acordo com a fundação, a ideia espanhola é transposta para Portugal para incentivar as livrarias portuguesas, sobretudo as independentes e as mais pequenas - de dimensão - a terem mais visitantes, "contrariando a tão real crise que leva tantos a temer o fecho iminente desses espaços de cultura".
O movimento Encontro Livreiro dá conta, na página oficial na Internet, de pelo menos uma dezena de livrarias a associarem-se ao evento, entre as quais a Fonte das Letras, de Montemor-o-Novo, a Pó dos Livros, GATAfunho e Assírio & Alvim, de Lisboa, a Traga-Mundos, de Vila Real, e a centenária Livraria Esperança, do Funchal.

Em Portugal, o Dia das Livrarias acontece na data em que morreram os escritores Fernando Pessoa (30 de novembro de 1935) e Fernando Assis Pacheco (30 de novembro de 1995).
Em Espanha, é a segunda vez que a Associação de Livrarias e o Colégio de Escritores organizam o Dia das Livrarias, para dar a conhecer "o prazer pela leitura e pelos livros", e para os livreiros mostrarem aos visitantes "os livros que precisam e também os que eles desconhecem que precisam".
A ideia é recordar "a função social e cultural" de uma livraria na sociedade, lê-se no manifesto espanhol.


Informação que nos chegou através de uma seguidora no Facebook :) Obrigada Daniela


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Desafio - O Efeito do Natal

Já todos vimos por ai algures na internet a clássica foto da árvore de natal improvisada com livros, certo?


E se todos aquelas magníficos livros que compõem a nossa colecção formassem uma linda árvore num canto da nossa sala? Parece-vos uma boa ideia?

Nós lançamos o desafio!!
:) Vamos todos fazer uma árvore, nem que seja uma em tamanho mini, a celebrar o nosso amor pelos livros.

Ao longo de Dezembro iremos divulgar todas as fotos que nos cheguem ao efeitodoslivros@gmail.com ou directamente na página facebook Efeito dos Livros.

Já temos duas árvores....
podemos contar com a vossa?

Só porque é Natal


Os colaboradores deste blogue ficariam muito felizes se recebessem um livro deste género, ora vejam ...
Nós chamámos-lhe:

TendaBook


Um design da FieldCandy com diversos modelos às escolha, mas para nós este seria o mais adequado, mas confesso que ainda sentimos tentação pela melancia... apreciem:


São maravilhosas, agora só falta superar a parte do preço!? ;(

E hoje é caso para dizer, boas férias... sempre com um livro.


Uma instalação ao jeito de Efeito dos Livros


It's all about books!




Meaning Minus Truth Conditions is an installation by Thomas Ehgartner in the sculpture studios of the Academy of Fine Arts Vienna. ‘To match their excessive demands of the ever-growing amount of new information by the media exploding information flow and the parallel impossibility of such a fragmented communication of such data in a strictly pragmatic-linguistic aspects. 8000 in the area lined up books form a base fragment, a limited archive of a infinite whole in which I move, and from that I select for my personal point of view, eighth ball of shredded books under the covers with the look of a Schwalbennestes make out. Underlining this setting of two computer voices that carried out Wickipedia and Guttenberg Online Book Archive handwriting recognition – or language programs interact.’



Enjoy ;)

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Valter Hugo Mãe é o grande vencedor do Prémio Portugal Telecom 2012


Valter Hugo Mãe é o grande vencedor da 10ª edição do Prémio Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa. O escritor português recebeu esta noite numa cerimónia que decorreu no Auditório Ibirapuera, em S. Paulo, no Brasil, o prémio na categoria de melhor romance com a A Máquina de Fazer Espanhóis e também foi o vencedor do Grande Prémio Portugal Telecom 2012.

Confira o resto da notícia no Público.

O blogue Efeito dos livros, descobriu recentemente o EfeitoValter Hugo Mãe, confira a critica de "Filho de Mil Homens" ... 

O aclamado autor português ganha este prémio com a obra A Máquina de Fazer Espanhóis:

Sinopse
Esta é a história de quem, no momento mais árido da vida, se surpreende com a manifestação ainda de uma alegria. Uma alegria complexa, até difícil de aceitar, mas que comprova a validade do ser humano até ao seu último segundo. a máquina de fazer espanhóis é uma aventura irónica, trágica e divertida, pela madura idade, que será uma maturidade diferente, um estádio de conhecimento outro no qual o indivíduo se repensa para reincidir ou mudar. O que mudará na vida de antónio silva, com oitenta e quatro anos, no dia em que violentamente o seu mundo se transforma? valter hugo mãe nasceu em Saurimo, Angola, no ano de 1971. Licenciado em Direito, pós-graduado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea. Vive em Vila do Conde. Publicou três romances: o apocalipse dos trabalhadores (2008), o remorso de Baltazar serapião, Prémio José Saramago (2006) e o nosso reino (2004). A sua obra poética está revista e reunida no volume folclore íntimo (2008). valter hugo mãe é vocalista do grupo musical Governo (www.myspace.com/ogoverno) e esporadicamente dedica-se às artes plásticas.


Críticas de imprensa
«[...] com este livro, valter hugo mãe aproxima-se a passos largos (e seguros) da maturidade plena.»
Eduardo Pitta, Público

«Um romance poderoso.»
José Mário Silva, Expresso

«Ler vhm é entrar numa viagem feita de imprevisibilidade enquanto estado humano de absoluta surpresa e espanto, de fortuitidade, de acaso, de percurso animado de múltiplos acidentes e peripécias que desviam a personagem de atingir o seu objectivo, atrasando-o, jogando-o por caminhos e situações insólitas e por sentimentos e estados interiores que lhe são totalmente desconhecidos, forçando-o a ceder ou a resistir, a recuar ou a avançar, a hesitar e a conciliar.»
Miguel Real, JL

Fonte: Wook 

Sem dúvida um autor para ler toda a sua obra. E melhor, é português!!!

Boas Leituras.

Caracol Literário a toda a velocidade

Tem vezes que leio devagarinho
Tem outras que é devagar
Outras então a palavra de ordem é PARADO!
Mas, em jeito de arranque a minha colaboração começa com seis das minhas leituras mais recentes:

- "Lisboa Triunfante" de David Soares - que deixo desde já a recomendação para "arranjem um dicionário"

- "O Palestiniano" de António Salas - uma novidade ;) do Natal de 2010, que assim que saiu fiz questão de o ter, já que anos antes li o "Diário de um skin" e havia adorado o trabalho do autor.
Ambos já em filme pela tv espanhola.

- "Trash" - um pequeno livro que apareceu entre leituras e me surpreendeu bastante, cedido pelas parcerias do próprio blogue com a Presença.

- "Nascidos para correr", já que a paixão pela corrida me levou até ele. Uma obra pelas mãos do jornalista Christopher Macdougall.

e ainda um livro ganho nos passatempos - "Memórias de um exorcista", do padre Amorth.



Passo a passo, as páginas vão passando!
Boas Leituras.

Opinião :: "Tabu" de Jess Michaels

Quando li o primeiro livro desta colecção nunca pensei que iria ler um segundo quanto mais que iria tê-la toda a olhar para mim na estante.
A literatura erótica ou os romances sensuais (como preferirem) tornaram-se o meu guilty pleasure e um que nem sequer engorda, a não ser que com cada capítulo devore uns quantos quadrados de chocolate.

Por isso, aqui vamos nós para mais uma review da colecção Romances Sensuais da Quinta Essência.

Sinope:
Cassandra Willows fez nome como uma das mais procuradas costureiras de Londres e como criadora de «brinquedos» íntimos muito apreci ados nos quartos das damas e dos cavalheiros da elite. Mas o seu êxito não pode aliviar a culpa e a dor devido a uma traição devasta dora. Nathan Manning, conde de Blackhearth, nunca irá perdoar à bela Cassandra tê-lo abandonado sem uma palavra no dia em que iam fugir. Agora está de volta a Londres e desejoso de vingança. Munido de memórias escandalosas e provocantes, o belo e vingativo conde chantageia a sua ex-amante, forçando-a a um romance ilícito... e reacende o fogo ardente que antes consumira ambos. Mas ao perderem-se e no êxtase erótico renascido, Nathan e Cassandra estão a tentar a sorte - ficando vulneráveis a um passado que ainda ameaça destruir as suas vidas e a sua paixão; à mercê de segredos sombrios e tácitos que são chocantemente, perigosamente tabu. 
A minha opinião:
Tabu de Jess Michaels não é um livro recente, não é uma novidade mas continua a ter um destaque considerável neste género, não tivesse sido considerada a "estrela do romance sensual". Eu continuo a ter uma ou duas autoras preferidas das que li ultimamente mas Tabu não fica nada a atrás.
Aqui conhecemos Cassandra, uma mulher solteira e independente, um caso raro tendo em conta a sociedade em que se desenrola a acção. Costureira de dia, amante e criadora de brinquedos sexuais à noite, Cassandra aprendeu a dar e receber prazer, e com o seu curioso contributo, influenciar a "felicidade" de muitos Lords e das suas amantes.
Mas todo o sucesso de Cassandra esconde um passado, um que a sobrecarga de trabalho ajuda a esquecer e lá, perdido nos anos, encontra-se Nathan Manning, um amor que ficou pelo caminho, um amante a quem a sede de vingança o faz voltar à vida da costureira e ameaçar a sua reputação. Para manter o seu segredo obsceno, Nathan chantageia Cassandra para que seja sua amante, para que se dobre à sua vontade, pelo tempo que desejar.
Como em todas as situações, reviver o passado mexe de tal modo com os intervenientes que sabemos que existem apenas dois possíveis resultados: ou conseguimos resolver ou tornamos tudo ainda pior (ou mais forte, neste caso!)
O reatar da ligação entre Cassandra e Nathan pode ser impessoal, desprovido de pensamentos nos primeiros instantes mas rapidamente se reacende o desejo que nutrem um pelo outro. Mesmo com um passado mal resolvido, a paixão que sentem um pelo outro nunca os abandonou. No entanto, o remexer o passado traz igualmente à toa o que os separou da primeira vez: as mentiras, os mal entendidos e as traições, não um do outro mas do que são próximos e em quem sempre confiaram.
Curiosamente, este livro faz parte de uma série de 4. Uphs! Parece que apenas dois foram editados em Portugal
1 . Everything Forbiden
2. Something Reckless
3. Taboo (Tabu)
4º Nothing Denied (Força do Desejo) 
Onde estão os restantes livros das Irmãs Albright? 
Embora não tenham, assim percebi, qualquer ligação no que toca a histórias, ficámos sem conhecer Miranda e Penelope Albright. 

 Que venham mais livros para a colecção da fitinha :) 
Obrigada a quem me sugeriu este livro :) meses antes de o adquirir. 

Queria salientar uma coisa que li neste livro, pela acção de um personagem, que me lembra algo muito importante de reter 

“I finally understood what true love meant...love meant that you care for another person's happiness more than your own, no matter how painful the choices you face might be.” 
Nicholas Sparks in Dear John


Boas leituras!

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Efeito das Parcerias - Civilização

Com tanta coisa nesta cabecinha até me tinha esquecido de comentar convosco que nos chegaram mais dois livros, cortesia da Civilização Editora, para ler e comentar convosco aqui no Efeito dos Livros.

Darkmarket de Misha Glenny
 Sinopse:
Parte das nossas vidas é vivida online – o banco, as compras, o trabalho, os encontros amorosos –, mas será que nos tornámos complacentes?
Partilhamos a informação pessoal, os nossos pensamentos e movimentos com um ecrã sem rosto, sem ter qualquer ideia do que se encontra para lá dele.
DarkMarket mostra a verdade chocante sobre o que se esconde por trás do computador: uma rede criminosa secreta que invade a nossa privacidade e ameaça a nossa segurança diariamente.
Glenny acompanha o percurso dos principais protagonistas – os criminosos, os especialistas em segurança internacional, a polícia, os viciados em crack, a família real saudita e, sobretudo, as vítimas – revelando a escala real desta nova ameaça global.
O resultado é um livro que não vai conseguir parar de ler. DarkMarket é um livro absorvente que apresenta uma investigação exemplar. Obrigatório para qualquer pessoa que utilize um computador: o livro essencial para qualquer pessoa que queira compreender o mundo em que vivemos.


Mr. Chartwell de Rebecca Hunt
Sinopse:
Julho de 1964. Na sua casa de Kent, Winston Churchill acorda e depara-se com uma visita: alguém que já não via há algum tempo, uma forma maciça, escura e muda que o observa. É Mr. Chartwell.
Em Battersea, Esther Hammerhans, jovem, vulnerável e sozinha, abre a porta ao seu novo hóspede. Pelo vidro vê uma enorme silhueta. É Mr. Chartwell.
Ele é carismático e perigosamente sedutor, mas à medida que as vidas de Esther e de Winston se aproximam lentamente, serão eles capazes de resistir aos seus estranhos e poderosos encantos e à sua força? É que os intuitos de Mr. Chartwell são muito mais sombrios e profundos do que parecem.


E para aproveitar a viagem, chegou também o livro que aguardava da promoção/passatempo Verão 2012

Pecados e Seduções de John Updike

Sinopse:
A história da vida de Owen Mackenzie abunda em pecados e seduções, domesticidade e deboche. O casamento com a sua namorada de liceu, a que logo se segue a sua primeira traição e, mais tarde, uma série de casos. A sua busca pela felicidade, numa sucessão de povoações desde a Pensilvânia até ao Massachusetts, conduzi-lo à beira do caos, do qual é salvo, mas a salvação encerra um preço fatal.

Por aqui já estamos a ler o Mr. Chartwell. Curioso!
Boas leituras!

Onde os últimos pássaros cantaram, Kate Wilhelm

Não sabendo muito bem como me chegou às mãos, "Onde os últimos pássaros cantaram" é uma obra de 1976 que podia muito bem ter sido escrita agora, pois estaria perfeitamente contextualizada aos dias de maior instabilidade, dúvida e incontrolável indecisão que o nosso mundo atravessa.

As preocupações climáticas são amplamente superadas pela utopia de uma sociedade quase secreta e capaz de superar aquilo que poderia ser o fim da humanidade como a conhecemos. Tal como a noção e a importância do grupo e da união é igualmente superada pela luta pela individualidade e independência de cada um de nós. A clonagem e a tentativa de nos aproximar ainda mais do que só pelas semelhanças de espécie é alarmante e francamente bem jogada pelas descrições simples e pragmáticas de Kate Wilhelm.

Vencedora do Prémio Hugo logo no ano seguinte ao seu lançamento esta obra lança-nos para um drama emocional:
(sinopse)
David, estou a contar-te aquilo que o maldito governo ainda não quer admitir. Estamos no início duma longa depressão que vai arrastar a nossa economia, e a de todas as nações deste mundo, para uma crise como nunca antes imaginámos. A poluição espalha-se mais rapidamente do que sabemos. Já estamos com um crescimento zero da população há alguns anos. A fome já se estende a um quarto do mundo, neste preciso momento. Há mais doenças agora do que quando Deus lançou as pragas sobre os egípcios. Há mais secas e cheias do que há registo. Espécies inteiras de peixes desapareceram, simplesmente desapareceram. Não há o raio duma colheita neste mundo que não sofra de algum tipo de praga ou doença, e as coisas só vão piorar. E eles não sabem o que fazer a respeito de nada disto. Estes loucos vão justificar cada catástrofe, atribuindo-a a uma condição isolada, e virarão as costas ao facto de se tratar de uma questão global, até ser tarde de mais para o evitar.

Emocional porque ainda hoje a clonagem é um assunto tabu e perante o qual todos devemos questionar qual será o nosso papel como indivíduos, não numa perspectiva de individualismo  mas sim de individualidade própria e tão apurada na nossa espécie.
Seríamos nós capazes, de conscientemente, abandonar a nossa perspectiva pessoal, a nossa capacidade de decisão e acção em prol de uma utopia!?

"(...) 
- Pela primeira vez, desde que a Humanidade caminha na terra - disse ele -, não haverá inúteis.
- Nem génios - acrescentou uma voz condescendente. (...)"

Até que ponto damos especial interesse à comunidade onde vivemos? Quando nos virmos sem ela? Quando nos sentirmos ameaçados? E quando formos, ainda mais, apenas números? Apenas pedaços trabalhadores que fazem pequenas partes de uma sociedade funcionar? Conseguiremos nós, agora, após anos de evolução a tomarmos partido, a sermos donos de parte da nossa evolução, conseguiríamos agora depositar tudo nas mãos de um grupo!? E se a clonagem nos retirar toda esta capacidade de questionarmos? Viremos todos ao mundo reprogramados para sermos escravos de uma comunidade? Sentiremos nós essa escravidão? Será assim em outros planetas? Seres geneticamente apurados, capacitados de "skills" específicos e contribuidores, cada um na sua área, sem misturas, sem questões, sem desafios!?!?!

Apesar de curtas ideias e de apenas lançar o mote à dúvida e à questão, creio que a autora é exímia em nos deixar a pensar:

(...)
- O indivíduo não existe. Existe apenas a comunidade. O que é correcto para a comunidade, é correcto, mesmo sob risco de morte do indivíduo. Ninguém existe, existe apenas o todo.
- Onde ouviste isso?
- Li.
(...)
- esse livro é uma mentira (...) eu sou um. Eu sou um indivíduo.
- Mark espera - interpelou Barry. - Alguma vez viste o que acontece a uma formiga que entra numa colónia estranha?
(...)
- Mas eu não sou uma formiga - contrapôs Mark.

As personagens neste livro não são como formigas, são mais como números em dia de bingo, uns serão muito importantes, e outros menos, ou quase nada. Essa forma de nomear algumas personagens com números foi o que mais que custou a entranhar durante a leitura, mas agora vejo que foi estrategicamente bem escolhido e premeditado, foi de certeza o trigger necessário para trazer ao livro a frieza, o distanciamento e a capacidade de desumanizar toda a luta e utopia conseguida por alguns e desafiada por outros.

Agora que penso bem nesta leitura, creio que quem lê este livro e segue a série "Walking Dead" verá algumas semelhanças, algumas lutas idênticas, algumas dúvidas que persistem e o motivo é sempre o mesmo, a luta pela Humanidade, tal como a gente a conhece.

Boas Leituras

Livros que marcam a diferença, Contraponto


Acadabinho de chegar!
A nossa mais recente oferta, cortesia da CONTRAPONTO, Livros que marcam a diferença!
Nada melhor do que começar uma parceria logo com um autor como Marc Levy, ou não fosse ele o «autor francês mais lido em todo o mundo». A nós chega-nos com "As coisas que nunca dissemos".

«Uma comédia romântica fantástica e cativante. Marc Levy preparou aqui um belíssimo cocktail de emoção, suspense e humor.»
Le Matin 




Procurando as novidades da Contraponto , como quem procurava o novo policial de Dan Wells, heis que tomo contacto com este prometedor enredo familiar, pois a frase: "Até depois de morto, Anthony Walsh parece ter o dom de transtornar a vida da filha." despertou logo a minha curiosidade. Ora vejam:

As Coisas Que Nunca Dissemos
Marc Levy

Julia Walsh sempre teve uma relação difícil com o pai. Quase nunca se viam, mal se falavam e, das raras vezes em que estavam em contacto, acabavam sempre a discutir.
Três dias antes do seu casamento, Julia recebe um telefonema da secretária do pai. Tal como ela esperava, Anthony Walsh não vai poder comparecer ao seu casamento. Contudo, tem uma justificação inabalável: está morto. Julia não consegue deixar de ver o lado tragicómico da situação. De um momento para o outro, passa da preparação de um casamento para a preparação de um funeral. Até depois de morto, Anthony Walsh parece ter o dom de transtornar a vida da filha. Porém, a seguir ao funeral, Julia descobre que o pai tinha mais uma surpresa reservada: a maior aventura da sua vida e, finalmente, uma oportunidade de dizer tudo aquilo que sempre calou… Neste comovente e divertido romance, Marc Levy cria um mundo de intriga e suspense, através de uma história sobre a força do amor.

«Uma bela fábula, cheia de humor, leveza e traços do fantástico.»
Metro


Contamos já na próxima semana ter novidades após esta leitura.
E por ai, já alguém leu? Se sim, deixem-nos saber de vossa justiça.
Eu para já, seja pelo título seja pelo mote «pais capazes de transtornar filhos», lembro-me logo do estreia da semana passada... "As volta da vida" com Clint Eastwood e que recomendo totalmente, também eles, pai e filha, tinham muita coisa que nunca disseram ;)

Até lá, boas leituras e quem sabe, bom filme!

All About Books


domingo, 25 de novembro de 2012

Passatempo "Cinquentas Sombras Livre" + Tenga EGG

Finalmente estamos a lançar o passatempo que andamos com tanta vontade a preparar desde que decidimos ultrapassar a meta dos 500 seguidores no Facebook. 
Finalmente conseguimos e por isso, aqui estamos nós para vos apresentar o que temos para oferecer desta vez.

Em parceria com a Lua de Papel temos um exemplar do terceiro e último livro de E. L. James, autografado pela autora. Sim, autografado porque eu não esperei 168 números só para assinar o meu mas também um novíssimo exemplar que no final deste passatempo vai passear até vossa casa.

E em parceria com a Just Only, temos de prazer de incluir um brinquedo para dois, o Tenga EGG, que achámos no mínimo curioso e por isso, o escolhemos para este passatempo.
Eu sei que fiquei! Mas não se preocupem que ao longo da semana vamos explicando melhor.

Nunca é tarde para relembrar as regras:
Seguindo as directrizes habituais, informo que o passatempo termina dia 9 de Dezembro às 23horas, é válido para todos os residentes em Portugal Continental e Ilhas e o vencedor será escolhido via Random.org.

O envio do livro será efectuado por nossa conta, em correio normal. Se o vencedor desejar que o livro seja enviado em correio registado, deve solicitar essa opção e suportar esse custo.

Gostaríamos de alertar que o link de Partilha poderá ser de qualquer rede social/Plataforma Blog mas tem de ser público. As participações que incluírem o link desta publicação não contam e serão desclassificadas.


Sendo assim, e sem mais demoras, desejo-vos boa sorte para este passatempo.


All About Books


sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Incertezas do Coração de Maggie O'Farrell

que tenho curiosidade de ler os restante já publicados. São 4 os livros editados em Portugal pela Presença e sempre tive muito interesse em ler "Depois de tu partires" mas nunca o adquiri. 
Para minha surpresa, outro dia passava os olhos pelas estantes da minha irmã quando me dei de caras com este, o segundo livro escrito pela autora e decidi aproveitar visto ter gostado tanto do outro.

A minha opinião:
Gosto imenso da escrita de Maggie O'Farrell mas este livro não me conquistou (nem o título). A base da história está interessante, tem um bom enredo, as personagens transbordam sentimentos reais, com quem nos é fácil de identificar  mas infelizmente, desapeguei-me do mesmo logo no início e depois demorei a entrar nos eixos. Acho que acima de tudo desinteressei-me pela personagem Lily, uma das arestas do triângulo amoroso (quase um quadrado) vivido em Incertezas do Coração (ou com mais sentido no título original, My Lover's Lover).

A história está dividida em 4 partes e a primeira, narrada na visão de Lily fez-me pensar em como é exagerada (mas extremamente veridica) a rapidez com que ela se envolve com Markus sem nada saber sobre ele, sobre o seu passado, sobre quem é aquela mulher que desapareceu e como é que tudo aconteceu.
Curiosamente, todo esse vertiginoso desenvolvimento mexe de tal modo com a cabeça de Lily que ela não desiste enquanto não sabe a verdade, caso contrário não terá descanso.
Lily acaba por ter um problema de consciência pesada. A culpa, consegue ser um poderoso alucinogéno. 

Quanto à ideia central do livro, que nos é alimentada a pouco e pouco na primeira parte, sobre a misteriosa Sinead e sobre o que lhe aconteceu é, sem sombra de dúvida a melhor parte do livro e o que me fez querer terminá-lo para saber tudo o que aconteceu e se a justiça é servida a quem a merece.
  
Sinead é, na minha opinião, A personagem neste livro. Quer esteja ausente, presente ou narre a própria história. Todo o mistério em seu redor só a torna mais interessante, pelo menos aos meus olhos.

Já Markus, irá ser odiado por grande parte dos leitores. Se forem leitoras, será odiado com grande fervor tendo em conta a historia pessoal de cada uma. Esta personagem terá muitos outros nomes pessoais, principalmente o que associamos a um perfeito....cabrão! Canalha! :)

Embora não tenha adorado o livro, continuo curiosa com a escrita da autora e sei que, quando tiver oportunidade, não irei hesitar em ler outro.
Este exemplar volta para a estante da mana
Obrigada!

Boas leituras para todos e bom fim de semana
 



Café versus LIVROS




 Ao fim de mais de um ano ou dois a me decidir se comprava ou não uma máquina de café, finalmente comprei-a e numa altura muito oportuna já que me valeu o mesmo valor em café e ainda um voucher de 10€ - ora foi como se me tivessem dado a máquina e ainda parte de um livro.

Entretanto, mais de duas semanas passaram aguardando a saída de alguns títulos, um até para presentear a minha metade literária... mas o livro tardou e eu olhei a outros - trouxe dois ou três nomes, mas heis que no momento em que fui mesmo usar o voucher acabei por trazer exactamente nada do que havia visto ou planeado... efectivamente é este o EFEITO DOS LIVROS... a surpresa, o inesperado...

Assim, graças a 10€ de desconto Worten, voltei para casa toda contente com mais 600 e muitas páginas daquele que dizem o seguinte:

"(...) a obra prima do seu trabalho de ficção."

Estou a falar de John le Carré, conhecido do público por romances como O Alfaiate do Panamá ou O Fiel Jardineiro que foram adaptados ao cinema.

Dos títulos que conhecia do autor - procurava A Toupeira, mas quando vi este não resiste.


Um Espião Perfeito
de John le Carré
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 648
Editor: Dom Quixote
ISBN: 9789722048774



Sinopse
Magnus Pym, explicou um dia John le Carré, «é o arquétipo do agente duplo que existe em cada um de nós». E é bem provável que esta seja, de facto, a chave para a compreensão de Um Espião Perfeito, unanimemente reconhecido pela crítica como a mais importante e a mais autobiográfica das obras do autor.
O livro apresenta como epígrafe o provérbio de origem francesa: «quem tem duas mulheres perde a sua alma, mas quem tem duas casas perde a razão». Fundamentalmente, é a essa quase imperceptível perda que toda a história se refere: ao destino de um homem que, na qualidade de conselheiro da embaixada britânica em Viena para «certos assuntos inconfessáveis», controlou o conjunto das redes inglesas na Europa de Leste, apesar de ter sido durante toda a sua carreira um agente duplo partilhado entre o universo comunista e o establishment ocidental.
Publicado em 1986, Um Espião Perfeito rapidamente foi aclamado como um livro superior e tornou-se um imenso sucesso em todos os países onde foi editado. Na primeira página do The New York Times Book Review, o crítico Frank Conroy descreveu-o como «uma obra notável, que consegue um equilíbrio rigoroso entre o desenvolvimento da narrativa e a riqueza inteligente e hábil do seu estilo». E a Académie Goncourt, de Paris, não hesitou mesmo em declarar: «Um Espião Perfeito integrou le Carré no pequeno grupo dos grandes romancistas ocidentais.»


Entretanto vai aguardar leitura... até lá há mais em espera.
E há por ai alguém que já o leu? Que opinião?

Boas Leituras.

O vício dos policiais


Os policias chegaram devagar, quase sem deixar impressão digital.
Um aqui, outro ali, quase como pistas que se recolhem sobre um crime...

...os policiais foram sedimentando nos meus favoritos. Hoje, são a maior parte da minha Wishlist.

Temos as novidades da colecção ALTA TENSÃO, da Porto Editora de onde se destacam desde já:




E temos também uma nova editora - Topseller que se lança no mercado com James Patterson e Janet Evanovich, dos quais destaco os que mais me aliciaram:





Uma nova editora, com uma perspectiva interessante:

«Ambiciosa e arrojada, a TOPSELLER não quis entrar no mundo da ficção de forma discreta. Sendo James Patterson o autor mais bem sucedido em todo o mundo e o cartão de visita da nova editora, a apresentação da TOPSELLER aos leitores portugueses tinha de ser feita de uma forma original.»

Quem sabe passam da wishlist Efeitocris para a estante ...
Até lá vamos vendo as criticas e os passatempos.

Boas leituras e se já leram, partilhem as vossas opiniões.

All About Books


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

All About Books


Mal posso esperar para começar a ler "A Culpa é das Estrelas"
para não falar que já andei a namorar isto

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Comecei a ler

Com apenas dois exemplares em falta na colecção de Romances Sensuais da Quinta Essência, é um misto de alegria e tristeza iniciar uma nova leitura. Mais um lido e menos um disponível para ler.

Estou a gostar imenso da história de Cassandra e Nathan.
E a leitura é feita a correr, ainda ontem comecei e já vou a mais de meio (e eu disponho de tempo limitado para ler)

Mais informações aqui

Mais um para a wishlist

A wishlist é quase como uma carta imaginária ao Pai Natal
Querido Pai Natal, este ano fui uma boa leitora, por isso gostava de pedir um exemplar destes livrinhos.
Deixo-te bolachas no mesmo sítio de sempre. De chocolate, certo? Ou estás a fazer alguma dieta nova?
Beijinhos
Elsa 


Por aqui, acrescentamos mais um livrinho à wishlist.
Depois de muito tempo como seguidora do tumblr A Livreira Anarquista, temos a oportunidade de passear com ela debaixo do braço (isto soa um pouco estranho!)

Sinopse
Através de comentários, diálogos e ilustrações das situações vividas quotidianamente, a Livreira Anarquista consegue, com humor e ironia, apresentar o que se passa do outro lado do balcão de uma livraria.
Criadora de um dos blogues nacionais com mais sucesso, lança agora pela Bertrand Editora o seu livro, com material inédito.

Autora
Livreira Anarquista
Livreira Anarquista nasceu em finais do século XX numa cidade portuguesa.
Aprendeu a andar com 9 meses. Anos mais tarde descobriu que essa era a causa de, até hoje, confundir a esquerda com a direita.
Aos 5 anos entra para o jardim-escola e aos 6 para a primeria classe.
Já foi várias vezes ao cinema e já viveu num 7º andar.
Faz parte das estimadas 3% de mulheres daltónicas no mundo.
Tem uma fixação doentia por números ímpares.
Tem 3 irmãos, 2 gatos e 1 namorado. 
Comentários na imprensa:
        

Querem um exemplo de como se vão desmanchar a rir a ler este livro?
Fiquem com este.

All About Books

Para começar, adoro a inscrição no contentor. 
kitap ve oyuncak kumbarasi 
Mealheiro de Livros e Brinquedos

Esta iniciativa está a decorrer na cidade de Giresun na Turquia. Podem ser depositados livros ou brinquedos, que posteriormente serão entregues a crianças necessitadas. 

Não é interessante a ideia? 
:)

Mais um para a Wishlist

Parece que temos nova trilogia, desta vez pela mão de Sylvia Day. Não sei se melhor, se pior, se igual a de E L James mas já me despertou a curiosidade.
Nem que seja pela capa, que já foi motivo de risota no nosso Facebook.
Não notam em nada de estranho? :P

"Rendida" é o primeiro livro da Série Crossfire e foi lançado pela chancela 5 Sentidos da Porto Editora.
(Podem ler excerto da obra aqui)

Sinopse
Gideon Cross apareceu na minha vida como uma luz na escuridão.
Um homem lindo, fascinante, um pouco louco e muito sedutor.
A atração que sentia por ele era diferente de tudo o que tinha experimentado na minha vida até então. Eu desejava-o como a uma droga que me enfraquecia dia após dia.
Gideon encontrou-me fragilizada e carente e entrou facilmente na minha vida.
Descobri que também ele tinha os seus próprios demónios. Tornámo-nos o espelho um do outro; éramos o reflexo das nossas mais profundas cicatrizes e… desejos.
Este amor transformou-me, mesmo que ainda hoje continue a rezar para que os pesadelos do passado não voltem para nos atormentar. 
Críticas de imprensa
"Sendo verdade que Rendida tem muito em comum com As cinquentas sombras de Grey, Rendida é uma história mais completa, mais bem escrita. As personagens são mais sólidas e o enredo é mais sensual. É um romance erótico que não pode perder."
Romance Novel News

Sessão Autógrafos - E. L. James

Lua de Papel
Depois de ter lido a trilogia completa, não ia perder a oportunidade de estar presente na sessão de autógrafos organizada hoje na FNAC do Colombo pela Lua de Papel
Obviamente que não fui a única, razão pela qual o espaço do café FNAC foi demasiado pequeno para albergar todas as pessoas que já lá se encontravam desde cedo. A maior surpresa não foi o facto deste espaço se encontrar cheio mas sim o número que recebi quando dei o nome para a lista de autógrafos, era o 168!
A apresentação, por parte do Editor, foi breve. Seguiram-se algumas perguntas efectuadas pela Marisa Cruz. Algumas das quais eu não consegui perceber visto me encontrar do lado de fora do espaço e a quantidade de pessoas ser muita, assim como o ruído. No entanto, creio que duas perguntas são cruciais e a que toda a gente deseja saber a resposta.

Vai escrever algum livro na perspectiva do Christian?
"Maybe!"
Curiosamente, há algum tempo lembro-me de ter lido uma entrevista em que a autora falava não deter interesse em escrever o ponto de vista do Christian por achar que algumas leitoras iriam acabar por detestar a personagem.
Parece que está a mudar de ideias!

Onde é que está o Christian Grey?
A Marisa Cruz ainda se esforçou para terminar a pequena lista de perguntas com uma piadinha. Temos de lhe dar esse mérito!

Depois seguiu-se a espera.
Tive oportunidade de conhecer outras autoras de blogs literários e foi uma boa maneira de passar o tempo até chegar o meu número. Conversa e champagne, fizeram os números passar num instante!


A autora foi muito simpática. Como sabia dispor de um tempo limitado para falar com ela, decidi deixar ficar um postal com um pequeno agradecimento, um miminho se lhe quiserem chamar.

Como de momento tenho o primeiro livro emprestado a uma amiga que vive em Londres, levei apenas o último, que acaba por ser o meu preferido dos três.


Além do meu, levei comigo um exemplar que me foi cedido pela Lua de Papel.
E novidades, novidades, temos um exemplar do terceiro e último livro "As Cinquentas Sombras Livre" para oferecer. E não é um exemplar qualquer, este está assinado.
E pode ser vosso!

Estamos a preparar um passatempo especial que iremos lançar ao atingir 500 seguidores no Facebook e este livro é parte do prémio.
Não percam a oportunidade!

terça-feira, 20 de novembro de 2012

"Uma morte súbita" - Booktrailer

Amanhã é lançado o novo livro de J.K.Rowling.
Agora temos a oportunidade de divulgar o booktrailer.
Quantos estão em pulgas de o comprar?

(cortesia da Editorial Presença)

CITAÇÕES DE IMPRENSA ESTRANGEIRA

«Um romance maravilhoso. A mestria de J.K. Rowling como contadora de histórias está
ao nível de RL Stevenson, Conan Doyle e PD James…»

The Observer

«Impossível não nos maravilharmos com a mestria com que J.K. Rowling entrecruza as
vidas destas personagens tão expressivas.»

The Daily Telegraph

«Impressionante - virar as páginas pode parecer insuportável, mas não tanto quanto
seria pousar o livro.»

Associated Press

«Um romance imponente, ambicioso, brilhante, profano, divertido, profundamente
perturbador e eloquente. Um livro bastante comovente pela mão de alguém que
compreende a um nível profundo e não só os seres humanos mas também a essência
do romance.»

Time Magazine

«Um romance pleno de perspicácia e engenho, esplendidamente delineado, e
terminado com inteligência. À altura do talento de J.K. Rowling como contadora de
histórias.»

The Economist

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Comer, orar, amar VERSUS Beber, jogar, f*der


Uma ideia, um pequeno projecto de introdução ao Caracol Literário...
Um casal, 2 livros e a já tão balada "Guerra dos Sexos"
Entre "Comer Orar Amar" e "Beber Jogar F*der"
a vida depois da separação, a discórdia, os vícios, os tique e as manias das mulheres e dos homens também, que mesmo os que dizem que não as têm, é quando as têm mais ;)

***

Entre Itália, Índia, Indonésia e Irlanda, Las Vegas e Tailândia... quem sabe este casal descobre mais uns destinos de viagem... ou não!?

o mote inicial para ela:

Quando fez 30 anos, Elizabeth Gilbert tinha tudo o que uma mulher americana formada e ambiciosa podia querer: um marido, uma casa, uma carreira de sucesso. Mas em vez de estar feliz e preenchida, sentia-se confusa e assustada. Depois de um divórcio infernal e de uma história de amor fulminante acabada em desgraça...

o mote inicial para ele:

Bob Sullivan era um marido fiel e dedicado até ter sido bruscamente abandonado pela mulher. Farto de ser o bom da fita, Bob decide gastar o dinheiro que lhe sobra (entre as contas do advogado e a pensão de alimentos) a viajar pelo mundo, a divertir-se e a dar cabo de alguns neurónios...


A ver vamos o que sai após estas leituras, que se esperam .... divertidas  instigantes... e claro dignas que um pequeno arrufe... aqui e ali ou não fossemos nós os dois, dois grandes teimosos!

O filho de mil homens, Valter Hugo Mãe, Alfaguara

O livro de Valter Hugo Mãe é assim como um doce, daqueles que a gente sabe que nos fazem doer os dentes, mas que só nos dá vontade de continuar a comer, então os dentes rangem e ai vocês sabem que fez efeito.
O livro de Valter Hugo Mãe é assim como um osso duro de roer, mas saboroso na sua salgada gordura, aquela que se entranha e nos vicia, que nos faz lambuzar, meter os dedos na boca.
O livro de Valter Hugo Mãe é tudo menos doce, mas também não é salgado. Não é paternalista, é bruto, duro e rebuscado. Mas é também frágil, simples, digno de um quadro. Ou vários. Uma uma ilustração, não, melhor duas, três... todas quantas somos incapazes de não sentir quanto certas palavras nos atacam, como pontadas de esforço e nos apertam o coração...
Valter Hugo Mãe reforça a dualidade da paternidade e da responsabilidade para com a cria. Ser pai é completar a metade que há em nós!? Mas ser pai é aceitar toda a dureza, a violência, a frieza, a tristeza e a incompreensão do mundo e ser-se capaz de transformá-la em amor, sem mágoa, sem problemas, sem trocos ou demasia, sem miudezas ou mesquinhice...
Amar, é simplesmente amar e o amor não escolhe, o amor não pede desculpa, o amor não olha à diferença, o amor é feito para ser incondicional, aliás, não é amor se não for incondicional!? Será esta a maior dúvida do autor!? Será esta a preocupação aquando da paternidade!?


A linguagem de Valter Hugo Mãe é única, a conjugação de palavras é, para além de genuína, é nefasta - é a palavra melhor que eu encontro. Os cenários, as acções, as ilações são igualmente nefasta, minam a nossa cabeça, sem nos deixar afastar ou esquecer este enredo, este emaranhado de espécies todas pescadas na mesma rede ;)

Não consigo deixar de transpor para aqui algumas passagens, simples e fugazes, mas tremendamente fulcrais à escrita e à essência das personagens, sacadas de um imaginário único, ou talvez dum esquecido e profundo Portugal.

Isaura:

"O pai perguntava: sangras. E ela respondia: não. A mãe dizia: se calhar não foi ao fundo. O pai perguntava: saem coisas. (...) A Maria dizia à Isaura que devia meter o dedo mais comprido e muito esticado. (...) A água ia levando o corpo da rapariga como se lavasse sonhos também. (...)

o velho Alfredo:

"(...) e convencia-o de que ler seria fundamental para a saúde. (...) E o médico perguntava: tem abusado dos fritos, dos ovos, você tem lido o suficiente. O paciente respondia: não, senhor doutor, há quase há um ano que não leio um livro, não gosto muito e dá-me preguiça. (...) o caixão fechava-se como um livro." 

Antonino:

"Garantir que o rachavam a meio era quase como apostar entre si quem o faria e tomaria a glória de eliminar tal monstro."

a anã: 

"Um dia, a anã disse que ainda esperava por um cavalheiro com um grande coração. Todas as que a ouviram estagnaram, perplexas..."

Crisóstomo:

"Aos quarenta anos, o Crisóstomo deitou-se sobre a areia e inventou que estava ligado a todas as pequenas e grandes coisas do mundo, como se lhes pertencesse por igual e cada pedaço da matéria fosse uma extensão longínqua de si."

Só vos tenho a dizer, leiam - é extremamente bom!

Boas leituras