quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Efeito Lista 2012, por Efeitocris

Dedicação, organização, listagem e determinação são palavras de ordem para 2013!!!
Organizar 2012 foi muito mais demorado e compilar as leituras ainda mais, já que os registos dos livros lidos  começaram mesmo mais a sério no verão (ou não fosse eu caranguejo e um bicho que gosta de bom tempo e água ;) )

Por isso, com registo aqui no blogue e espero que não me falte nenhum, aqui vão as leituras de 2012 (ou melhor depois de Julho/Agosto, para ser mais correcta):

- O Factor Humano, de Graham Greene, Casa das Letras
Quando Nietzsche Chorou, de Irvin D. Yalom, Saída de Emergência (entre os melhores)
- Chega-te a mim e deixa-te estar, de Eduardo Sá, Oficina do Livro
- De uma coisa tenho a certeza, Rovisco Costa, Chiado Editora (o único que li este ano e não gostei)
- Contigo para sempre, Takuji Ichikawa, Presença (o livro que me arrependi ter trocado)
Irmã, de Rosamund Lupton, Civilização (uma novidade fenomenal)
Trash, de Andy Mulligan, Presença (um mimo para o leitor)
Nascidos para correr, Christopher McDougall, CADERNO (um livro que é uma bíblia da corrida)
O filho de mil homens, Valter Hugo Mãe, Alfaguara (o mais original deste ano)
Comer, Orar, Amar ... versus... Beber, Jogar, F*der ... uma leitura em género de desafio
Onde os últimos pássaros cantaram, Kate Wilhelm, Gailivro (entre os mais estranhos do ano)
INCÓGNITO, David Eagleman, Presença (para abrir horizontes)
Não abras os olhos, de John Verdon - Porto Editora (mestria total - adorei!)
- O teu rosto será o último, João Ricardo Pedro, Leya (O Prémio Leya bem merecido - ADOREI!)
Auto-retrato de um escritor, de Haruki Murakami, Casa das Letras (divinal)
As coisas que nunca dissemos, Marc Levy, Contraponto
A minha história com Bob, James Bowen, Porto Editora
- Alex Cross, James Patterson, Topseller (um livro para dar largas à imaginação)
Scarpetta de Patricia Cornewell, Editorial Presença (o início de uma paixão)
O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde - VEGA Editora ( O MELHOR DE 2012)
Jaime Bunda, o Agente Secreto, por Pepetela (para rir à gargalhada)
- O centenário que fugiu pela janela e desapareceu, Jonas Jonasson, Porto Editora (um leogio ao non sense)
Daddy,de Loup Durant, Edições Afrontamento (ainda hoje não sei o que pensar deste livro!?!!!)
O Último Minuto, de Jeff Abbott - Civilização (garantidamente bom!)

Penso que contei 28 depois de Julho/Agosto de 2012, mas reparo que só aqui registei 24...


Ora, sei que li, mas falta aqui: Breve História de Amor de Tiago Rebelo, um da Minete Walters, que fui a correr ler depois de Fantasmas do Passado e já não gostei nada. Falta Inês Pedrosa. Falta ainda Torey Hayden, que depois de Filhos do Abandono ainda li a Criança que não Chorava. Há ainda dois ou três títulos de Quintino Aires que também ficaram pelo caminho. E que mais!?!? Começei "Sexus" de Henry Miller, mas... esqueçam livros com edições de 60/70 com letras miudinhas não dão pra mim, a minha visão já não é o que era...Há ainda Frederico Moccia lido em espanhol das edições de bolsillo que ficou pelo caminho.
Ainda dei uma olhadela num ou noutro de marketing relacional, psicologia e claro alguns infantis, mais recentemente o Marley e de vez em quando leio um conto de Murakami ou até Joanne Harris ;)

À medida que vou relendo... falta-me também "No seu mundo", de Jodi Picoult, que me surpreendeu bastante pela pesquisa e factos sobre autismo.
E ainda devem faltar mais, já que os primeiros meses do ano não tem quase registo!

Adorei fazer este post e já que vi e revi o blogue praticamente todo, saliento:

Um post de início de uma jornada, de um projecto, de uma ideia que ganhou mais forma a partir deste ano que agora terminou. Efectivamente o Efeito dos Livros veio para ficar!

Ler mais em português - deveria ser um projecto para 2013 e penso que vai ser - por isso fez-me pensar num dos livros mais estranhos e ritmados que li até hoje e claro de um português: "O guardador de almas" de Rui Vieira.


Há também um livro que ainda hoje me paira nas ideias, pela mão de Cecelia Ahern, quando a sua fama corria o mundo por causa de PS - I love you, eu descobri "Um lugar chamado aqui" e ali fiquei, agarrada aquele lugar, ali, naquela história... e ainda hoje a aguardar a tal série ou mini-série que estaria para sair...

E depois encontrei ainda, "A Prisão", de Jesús Zárate que, sem dúvida, rivaliza com "O retrato de Dorien Gray" e "Quando Nietzsche chorou"... que são sem dúvida os livros que mais gostei de ler nestes últimos dois ou três ano.



Sem dúvida que 2012 fica marcado pela presença dos policias como um género a seguir. Gosto!

E quero ainda destacar um post de 2010, que adorei reler e que pode ser o resumo dos meus anos!!! 
Por vezes os devaneios saem tal e qual como nós somos! Adorei ler esse pedaço de mim.

FELIZ 2013 que seja um ano de somas a tudo aquilo que já construíram até agora!









3 comentários :

Philipa Amaral disse...

e o trash?

efeitocris disse...

está entre
irmã
e
nascidos pra correr

;)

Philipa Amaral disse...

tava a dormir :)