sábado, 15 de junho de 2013

"Diplomata" de Vasco Ricardo - Opinião

(foto de ElsaR)

Sinopse:
Gabriel é um político norte-americano de topo que possui uma família perfeita e uma reputação imaculada. Contudo, por detrás da sua figura exemplar, um outro homem emerge. Violento, frio e calculista, Gabriel parte em busca de algo e não parará enquanto não for bem-sucedido.
*
"...E quando já ninguém chorava, dei por mim a verter lágrimas que cheiravam e sabiam a sangue..."
A minha opinião:
Ao contrário de todas as criticas que li quando fiquei a conhecer este livro e quando a minha irmã o leu, EU  NUNCA li A Trama da Estrela, logo não tenho qualquer ponto de referência ou oportunidade de comparação. Sou uma folha em branco no que toca a opinar sobre os livros de Vasco Ricardo. Por um lado, óptimo para mim, não tenho influências, nem mesmo das críticas que li, boas ou más.

Sei que certo dia, olhei para a estante em que temos os livros que partilhamos, dei-me de caras com "O Diplomata" e este chamou por mim. Achei que era a altura ideal para o ler e não me enganei. Confesso que não sabia o que esperar, não li sequer a contracapa, ataquei simplesmente a leitura.
"O Diplomata" foi uma óptima surpresa. Começou com a capa, que tem um óptimo design (já ouvi dizer que o talento é coisa de família) e termina com a história. Esta é repleta de emoções cruas e descrições que tocam até os mais insensíveis. Tem um toque cinematográfico ou então, é apenas a minha mente de maluca por filmes que vê adaptações cinematográficas em quase tudo o que lê. Mas "O Diplomata" tem aquele "je ne sais quoi" que me faz querer ver a acção a desenrolar-se em frente aos meus olhos e não só quando estou a ler. Eu acho que este pensamento me ocorrer por esta ser uma história com um excelente sentido de justiça (e vingança), que sempre foi um dos meus temas preferidos.
"O Diplomata" seria, no meu ver, um óptimo candidato à rubrica "livros que se tornam filmes". Quem sabe o que o futuro reserva. :)

No entanto, como até já disse ao Vasco, que tive o prazer de conhecer (virtualmente), a história tem alguns detalhes que pensava serem pontas soltas mas que, eventualmente, deram as voltas certas e formaram um padrão bem intrincado e criativo.

Confesso que peco pelo fraco contributo na leitura de autores nacionais, com isto, mil perdões. Espero a pouco e pouco me redimir.
E sim, agora quero ler "A Trama da Estrela"

E como foi referido na opinião da minha metade literária, 
Para seguirem as publicações do autor - AQUI
Caso queiram ler mais, sigam as crónicas CRÓNICAS DE UM PORTUGAL DEMASIADO PORTUGUÊS

Sem comentários :