domingo, 30 de junho de 2013

Lançamento "In Sexus Veritas"

Ontem tivemos a oportunidade de estar presentes na sessão de lançamento do novo livro do escritor/orador/jornalista/cronista/humorista/PALERMA (palavras dele, não minhas!), Pedro Chagas Freitas. "In Sexus Veritas" é mais uma edição da Chiado Editora e chega-nos em dois volumes, compostos por 1481 páginas. Sim, isso tudo, eu não me enganei no número.

Sinopse:
Um trolha homossexual. Um jogador de futebol filósofo. Um humorista deprimido. Uma prostituta de alma. Um assassino refinado. Uma prostituta de corpo. Um homem que consegue pensar e sentir o que os outros pensam e sentem. Numa obra que é um gigantesco monumento, mistura frenética de poema e de thriller, Pedro Chagas Freitas visita os mais profundos calabouços da humanidade: o amor, a morte, a inveja, a paixão, a raiva, a mentira, o medo, o ciúme. E o sexo. Sempre o sexo. Porque é nele, sempre nele, que se encontra a verdade.

Quando li a sinopse deste livro sabia que tinha de o ler. E de facto, já comecei a leitura mas tenho de me obrigar a parar senão só termino daqui a quase 1400 páginas e esta leitura requer tempo, nem que seja para fechar o livro, dizer dois palavrões e reflectir enquanto apanhamos ar.
Se achamos que ao ler uma sinopse ficamos com uma ideia do que vamos encontrar, ir à apresentação de um livro e ouvir o autor falar sobre as personagens e o conceito geral do mesmo, leva-me sempre a crer que já conheço as personagens quando as começo encontrar com o virar das páginas, e essa familiaridade é impagável. 

Foram muitas as pessoas que quiseram estar presentes neste lançamento, a Livraria tornou-se pequena para tantos corpos e mesmo quando o calor se apoderou da sala, ninguém arredou pé.

 (foto elsar)

Escutaram-se excertos pela voz de duas mãos cheias de admiradores, que de modo emotivo leram e declamaram momentos cruciais para a apresentação dos personagens, dos 7 personagens que vamos conhecer neste novo livro.
O facto de estar dividido em duas partes prende-se pelo ponto de viragem na história que me deixou muito curiosa e a analisar a célebre questão "E se?".
Mas não vos vou contar nada. Se numa opinião gosto de me restringir ao básico, alguma vez iria estragar a oportunidade de experimentarem tudo em primeira mão, de saborearem cada frase e pensamento.
Se o tamanho vos assusta, então não sabem o comprimento da vossa determinação. Vão ler este "In Sexus Veritas" e num instante.

(fotos Les Enfants Terribles - Bar livraria do Cinema King)

“Ela sem medida. Ela como minha medida. Nós sem meias medidas. Trocava a minha vida inteira por tê-la um segundo à minha beira. A minha vida pelo sorriso dela. A minha vida pela mão dela, pela pele dela. A minha vida pela vida dela na minha. Sou um prisioneiro, sim. Mas dela.”


"In Sexus Veritas" vai ocupar 10 centímetros da minha estante mas questiono-me quanto açambarcará da minha alma?

Por aqui já se leram duas obras do autor. "Eu Sou Deus" ficou comigo, despertou-me para o fenómeno da escrita do Pedro.
Veremos o que me diz "In Sexus Veritas".

Uma breve actualização. 
Então não vos mostrava a parte mais interessante??
Autógrafos, elogios à ovelha negra (no relógio) e os livros, agora na estante já autografados.
(fotos Daniela Ferreira)
 (foto elsar)

Boa noite e boas leituras! 

Sem comentários :