segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Opinião :: " A Dominadora "

No píncaro da curiosidade, não podia deixar passar a oportunidade de estar presente no lançamento de "A Dominadora" e de fazer deste livro uma das minhas leituras de 2013. E que leitura!! Sentei-me para ler depois do jantar e de repente já estava nas últimas folhas (e na hora de dormir!)

 Sinopse

A minha opinião:
 "A Dominadora" conta uma história verdadeira, não é apenas uma narrativa na 1ª pessoa sobre uma mulher e um homem de sonho, perfeitos demais para serem reais, pelo menos ele. A vida não é um mar de rosas porque na realidade, por mais coisas boas que tenhamos, há sempre as partes más, as que nos magoam e marcam para sempre. Ana tem um passado complicado, uma luta com a obesidade que começa cedo e que a priva de ter um rumo dito normal como o de tantas outras crianças. Na adolescência a situação não melhor quando tem experiências menos boas com o sexo oposto e quer queiramos quer não, essas coisas moldam-nos de alguma forma.
É interessante ver como alguém que não tinha confiança em si e no seu aspecto, a ganha para se tornar um ser dominador, nem que seja apenas sob o seu submisso.

Fiquei a saber coisas sobre BSDM que nunca me tinham passado pela cabeça, começando pela mais simples e que curiosamente é uma preconcepção errada que muita gente faz destas práticas. Seja numa sessão ou uma relação submissão/dominação não existe obrigatoriamente sexo. Será que andei este tempo todo a pensar que uma coisa levaria naturalmente à outra? Pois, pensei mal!

É verdade que algures a meio da leitura nos esquecemos que Ana é tão real como nós e passamos a viajar nas descrições detalhadas das suas sessões com os seus submissos, cada um diferente dos outros nos seus gostos e medos. É quase como sentar a ouvir uma amiga falar de todas as relações que não deram certo no seu passado, só por dizer que se isto fosse contado numa mesa de café estaríamos provavelmente de boca aberta e olhar esbugalhado perante as várias situações que Ana nos descreve. Quer fosse pela parte emotiva, com que nos podemos facilmente identificar e/ou comover, ou pelo choque, com a descrição das práticas que a fazem dona e senhora no mundo BSDM. 
O que me surpreendeu mais? 
Sei que esperam que diga terem sido algumas das práticas relação submisso/dominadora, e confesso que sim, houve até alturas em que me arrepiei e me cocei, naquela reacção instintiva de "credo!" quando achava que o meu limite de dor/orgulho tinha sido ultrapassado mas sabia que ao longo do livro teria acesso a essas descrições, a pensamentos e gostos de um mundo que me é completamente alheio. No entanto, o que mais me surpreendeu não foi isto, foi a qualidade da escrita. Embarcamos na vida de Ana com imensa facilidade, talvez agora compreenda porque se falou em o livro estar "romanceado" durante a apresentação. Li o livro entre a hora do jantar e a de dormir e estejam descansados, nada de sonhos, pelo menos nenhum que se possa inserir no género.
Ah outra coisa que me surpreendeu, divertiu e quase chocou...as cenas e histórias de brincadeira Barbie e Ken. Acho que nunca mais vou olhar para esses bonecos da mesma maneira!

Curiosos por saber mais sobre a vida de Cruela?


Comprem o livro e vejam a óptimo promoção Maleta Vermelha que vem no interior. São 15€ de desconto :) nunca se sabe, ainda encontram alguma coisa interessante.
Agora só falta marcar a reunião com as amigas.

Boas leituras e bom prazer!

Uma leitura com o apoio

2 comentários :

Helena Duque disse...

Mais um bichinho! Fiquei mais do muito curiosa!
Espero poder l~e-lo em breve!

Beijinhos xx
http://beautifulnessbyhelendeadly.blogspot.pt/

Ana Santos disse...

Adorei ler este livro. Quando li o livros "As Cinquenta Sombras de Grey" pensem que o relacionamento BDSM não houvesse em Portugal, estava errada.

Quando dizes que numa relação de submissão/dominação não é obrigatório ter sexo talvez devido ao livro "As Cinquenta Sombras de Grey". Cada vez que Grey entra no "quarto da dor" terminava com sexo.

Beijinhos amei a tua opinião.