domingo, 9 de março de 2014

Opinião 2 em 1 - Série Fever : Livro 1 e 2

Como já devem ter percebido, não sou leitora de uma série só, na realidade, desenvolvo romances intensos e fugazes com membros de várias séries, uns a seguir aos outros ou logo que o livro se encontra à minha disposição. 
Talvez seja por isso que não resisti em pegar em mais uma série, desta vez na FEVER.
É impossível negar que a referência "Karen Marie Moning - Autora da Série Highlander" não tem um peso significativo na escolha deste livro e na entrada de uma nova série na estante. Tem, muita, mesmo!!
Por isso, e porque comecei a ler esta série por minha própria conta e risco, deixo uma opinião 2 em 1 dos primeiros livros da série editados em Portugal pela Contraponto. Infelizmente, ficaram-se por ai, deixando uns quantos fãs desgostosos.
Para mal dos nossos pecados e das nossas carteiras mas para alegria de muitas leitoras portuguesas e fãs da Miss Moning (como eu!), a Saída de Emergência já tem na calha o lançamento do 3º -  Sublime Sedução ou Faefever, no título original.

 (esta é a prateleira mais recente cá do sítio e a desorganização total)

Anoitecer / Darkfever
Sinopse
«O meu nome é MacKayla; Mac, para simplificar. Sou uma vidente de sidhe, uma das que vê os Fae, um facto que aceitei apenas há pouco tempo e com grande relutância.
A minha filosofia é muito simples - fico feliz quando ninguém anda a tentar matar-me. Mas não tenho tido razões para estar feliz ultimamente, desde que as paredes entre o Homem e os Fae se desmoronaram. Na verdade, não existe um único vidente de sidhe vivo que esteja feliz desde então.» Antes de ser assassinada, a irmã de MacKayla deixou uma única pista sobre a sua morte - uma mensagem enigmática no telemóvel de Mac. Numa viagem à Irlanda em busca de respostas, Mac vê-se subitamente perante um enorme desafio: conseguir manter-se viva até conseguir dominar um poder que não fazia ideia possuir, um dom que lhe permite ver para lá do mundo do Homem, para o perigoso reino dos Fae…
Enquanto Mac mergulha cada vez mais fundo na tentativa de solucionar a misteriosa morte da irmã, todos os seus movimentos são seguidos pelo sombrio Jericho… e o implacável V’lane - um príncipe Fae que transforma o sexo num vício para as mulheres humanas - aproxima-se dela. À medida que as fronteiras entre os dois mundos começam a desmoronar-se, a verdadeira missão de Mac torna-se clara: encontrar o poderoso Livro Negro Sinsar Dubh antes que mais alguém o reclame, pois quem conseguir obtê-lo primeiro terá o controlo completo sobre ambos os mundos…

Divagações:
Li a sinopse do primeiro livro e pensei "ora bem, ora bem, mais fae" mas depois dei comigo a encolher os ombros, sinal universal de aceitação e comecei a leitura.
Inicialmente a personagem de MacKayla deixou um pouco a desejar, a sua fixação por detalhes idiotas como a roupa e acessórios (fui a única a achar que ela tinha mau gosto?!), pouco contribuía para a história.
Mas cedo percebemos que toda estas pequenas manias eram fruto da inocência, da total ignorância sobre um mundo perigoso ao qual MacKayla nem sequer sabia que tinha acesso até ter decidido, por sua própria conta e risco, partir da santa terrinha nos Estados Unidos em direcção a Dublin para investigar o misterioso assassinato da irmã.
O termo "tu não sabes no que te vais meter" nunca encaixou tão bem numa situação. Desde revelações sobre a irmã que lhe eram desconhecidas, à descoberta de poderes que lhe eram alheios, MacKayla sofre uma série de percalços que a levam até à porta de Jericho Barrons, que vai ser um braço direito nas suas descobertas futuras. Embora, a Barrons, talvez não seja boa ideia dar o braço todo ou ele quererá o resto.
Na busca da verdade sobre a irmã e sobre o que é ser uma vidente do sidhe, Mac tem de enfrentar ameaças humanas e sobrenaturais que surgem de todos os lados e ultrapassar provas a que vai sendo submetida, até a sua capacidade de largar o arzinho de menina bonita para trás de modo a ocultar sangue e armas que precisa para enfrentar os várias perigos que estão sempre à espreita.
Neste livro, a personagem principal não captou a minha simpatia, nem pelo facto de procurar vingança pela morte da irmã mas vale em muito Barrons, esse enigmático filho da mãe que parece esconder as suas verdadeiras razões nas entrelinhas de tudo o que diz a Mac e que com toda a certeza, não é nada do que aparenta ser.
Crente na qualidade de escrita de Karen Marie Moning e fiel à promessa de "lê e só assim saberás se gostas ou não", decidi que teria de ler o Bloodfever e algumas semanas mais tarde, tinha o segundo nas mãos pronta para cimentar a minha opinião sobre Mac e a sua demanda pelo Sinsar Dubh.
(a bagagem do mundo fae começa a fazer jeito, ja não faço caretas perante certos nomes!)

Vingança / Bloodfever
(eu li em inglês, como podem ver na imagem)
Sinopse
Durante séculos, o reino sombrio dos Fae coexistiu com o dos humanos. Agora as paredes que os separam estão a desmoronar-se e Mac é a única coisa que se ergue entre eles… A vida de MacKayla Lane sofreu uma transformação radical quando ela aterrou nas costas da Irlanda e se viu mergulhada num mundo de feitiçaria mortífera e segredos antigos. Na sua luta para continuar viva, Mac tem de encontrar o Sinsar Dubh— um livro da magia mais negra imaginável, com um milhão de anos, que contém a chave para o poder sobre o mundo dos Fae e do Homem. Perseguida por assassinos Fae, rodeada por figuras misteriosas nas quais sabe que não pode confiar, Mac dá por si dividida entre dois homens mortíferos e irresistíveis: V’lane, o Fae insaciável que consegue transformar a excitação sensual numa obsessão para qualquer mulher, e o sempre inescrutável Jericho Barrons, um homem tão atraente como misterioso.

Divagações felizes de uma leitora que sabe ter ficado presa à série toda:
Com a leitura do primeiro, fiquei de olhos abertos para a oportunidade de comprar o segundo ou ler emprestado de alguém que o tivesse. Não estava segura de gostar da personagem de MacKayla, por esse motivo não me queria estar a colocar em despesas desnecessárias caso terminasse a leitura com vontade de o fazer voar o livro pela janela fora. Mas lá encontrei um exemplar que encaixava no orçamento.
Fico feliz por este ter sido um bom investimento e por ter optado por ler em inglês. Nada contra à tradução presente no primeiro livro mas sei, de experiências passadas, que há coisas que merecem ser lidas na versão original, para não ficarem "lost in translation".

Esqueçam a tonta da MacKayla do primeiro livro, Anoitecer/Darkfever. Realmente o que ela precisava era de uma grande dose de realidade como impulso para crescer. Até então compreende-se a razão para a sua aura despreocupada e sorridente. Enquanto MacKayla Lane, habitante de Ashford na solarenga Georgia, esta nunca teve uma única preocupação na vida a não ser qual o tom de verniz que contrastava com o seu bikini e qual o homem mais bonito da santa terrinha onde sempre morou. Ser confrontada com a morte brutal da irmã, com a culpa de não ter estado lá para quando ela mais precisava e consequentemente, com as transformações que o seu pequeno mundo sofreu com a sua viagem a Dublin, é normal que encontremos uma MacKayla mais atenta, mais madura mas igualmente teimosa neste segundo livro, Vingança/Bloodfever.
Sem saber bem como posicionar todos os intervenientes no tabuleiro do jogo na luta entre o bem e o mal, ou melhor, pela procura do livro que toda a gente parecer querer encontrar e para o qual ela tem o radar apurado, MacKayla vê-se obrigada a jogar à traição um pouco para todas as equipas de modo a tentar obter qualquer que seja a informação sobre ser vidente do sidhe e o que isso acarreta. Todas as personagens que estão presentes na actual vida de Mac são o menos transparente possível e cada uma tem um plano seu, que lhe oculta e que pode influenciar directamente o tempo que continua viva.
De todas as mais significativas, ou pelo menos mais interessantes segundo os meus padrões (como mulher e leitora), são Barrons e V'Lane.
O primeiro não sabemos classificar mas sabemos que está presente para ajudar Mac, para lhe incutir alguns conhecimentos sobre o que é ser vidente do sidhe e para ser evasivo a quase todas as horas do dia.
O segundo, prince fae com alta carga sexual, surpreende-nos ao fazer um acordo com Mac que gera um dos momentos mais interessantes do livro e que permite à nossa personagem central evoluir e ultrapassar alguma parte da dor que a consumia desde a morte da irmã.
Mas a vida de Mac já não se faz de arco-íris e coisas fofinhas, os perigos são verdadeiros e cada nascer do dia acarreta a promessa que para se manter viva, terá de lutar por si e por saber quem é enquanto enfrenta velhos e novos inimigos.

No entanto, num dos momentos em que a vida da personagem está por um fio e sentimos o coração na boca para saber como é que ela vai sair daquela embrulhada, somos brindadas com uma clássica cena repleta de carga sexual à moda de Karen Marie Moning que nos faz lembrar que até nos momentos mais extraordinários e perigosos, o nosso corpo nos trai com desejos e vontades que precisam de ser saciados imediatamente, muitas vezes contra à razão e ao preservação pessoal.
Vá, já sabem do que estou a falar. Agora vou querer ler o terceiro porque as coisas não podem ficar assim, precisamos de respostas.
 E eu finalmente gosto da MacKayla!

Quando é que sai mesmo o terceiro?? :)
 Sabemos que algures as séries Fever e Highlander se vão cruzar mas ainda não queremos pensar nisso. Agora é mesmo aproveitar a leitura do que temos mais à mão.

Boas leituras...bons vícios!

3 comentários :

S.S. disse...

Olá outra vez :D

O que adoro na Moning é a sua capacidade em CRIAR personagens e que o facto dela se dar ao tempo de desenvolver a sua personalidade. No nosso dia-a-dia a nossa personalidade reflete a nossa educação e o meio no qual crescemos. nao se espera por parte de ninguem que altere, de um momento para o outro, a sua maneira de ser (a menos que seja psicotico lol). Infelizmente isso acontece em muitos livros e de forma inexplicável. A Moning já tem mais cuidado com isso, a Mac é uma rapariga muito inocente mas que ao longo dos livros desenvolove uma personalidade muito mais afirmada e forte! (atingindo o seu auge no 4ºlivro aka DreamFever - alias, basta ver-se a capa do livro para se perceber que ela está longe da "rainbow girl" do primeiro livro). Em relação ao 3º livro, sai em Maio, desconheço o dia mas espero eu ser no inicio uma vez que o quero comprar, apesar de nao gostar da capa lol. Boa continuação de leitura! Acredita que esta série tem muito mais para dar!
Beijocas

ElsaR disse...

Concordo plenamente contigo.
Tenho o primeiro capítulo em mãos mas sei que se o vou ler, fico em pulga até Maio. :!

Philipa Amaral disse...

olhaaaaa...está ali o pote!! ;)

Este ano nao vai haver jantar de Natal, vai haver jantar de pote :)