Pesquisar neste blogue

A carregar...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Para Sempre Talvez / Deixa o amor entrar / Love, Rosie - Opinião ao filme

A sessão de domingo à noite com mais um título para a rubrica "Quando os livros se tornam filmes"


Para Sempre Talvez / Deixa o amor entrar / Love, Rosie
Três nomes diferente para a mesma história, a de Rosie e Alex.
Quando li o livro confesso que foi o equivalente a um furacão que me arremessou pela casa na tarde em que me sentei no sofá e o li de seguida. Entre gargalhadas, sorrisos, lágrimas e música, vivi a amizade destes dois ao longo das 300 e tal páginas que compõem o livro. Gosto quando uma história me lembra outra, seja de um livro que li, seja porque alguém ma contou ou porque eu a vivi.
"Para Sempre, Talvez" tem um pouco destas três opções e uma das coisas que penso quando me deparo com a adaptação de um livro ao cinema é "Será que eles vão conseguir passar todos os sentimentos que o livro provoca para o grande ecrã"?
Pois, "Deixa o amor entrar" têm todos os sentimentos que surgiram com a leitura bem presentes na tela, bem encaixotadinhos ao longo de 102 minutos de filme e 30 anos de uma amizade imutável e um amor desencontrado.
Um filme levezinho, se a história não te tocar, mas acima de tudo uma fonte interminável de gargalhadas e sorrisos. Um lembrete que não nos devemos contentar e nem deixar por dizer o que nos vai cá dentro.


PS: aquele nokia 3310 da rosie, o quanto me ri quando aquilo apareceu em cena ! :)

Relembro a minha opinião ao livro de Cecelia Ahern :) 

Uma sugestão...
Quem gostou deste, de certo gostará de Um dia /One Day (adaptação do livro com o mesmo título da autoria de David Nicholls)

Sem comentários :