Pesquisar neste blogue

A carregar...

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Opinião "Uma noite - Rejeitada"

“Uma Noite - Rejeitada” chegou esta semana às livrarias mas por aqui, já consumimos todas as horas que nos foram concedidas e continuamos a pedir mais.

Terminei o primeiro livro da nova trilogia de Jodi Ellen Malpas de queixo caído. A autora apanhou-me completamente desprevenida (como mencionei na minha opinião) e sabia que, mal conseguisse colocar as mãos nesta continuação, não iria aguentar muito tempo sem lhe tocar.
E assim foi…
(se ainda não conhecem Miller e Livy do primeiro livro, minha boa gente, fechem aqui a janela e desloquem-se à livraria mais próxima)
Os outros….acompanhem-me, se faz favor!


Como mencionei anteriormente, aquele final deixou-me ansiosa por mais, especialmente por saber mais detalhes sobre Miller e é exactamente isso que obtemos desta continuação, uma constante descoberta de Miller, camada a camada, desde a sua superfície polida e de boas maneiras, ao mais intimo, privado, chocante e desconcertante detalhe. Quantas pessoas escondem uma teia enredada de segredos e eventos passados marcantes debaixo de um exterior implacável? Miller não é excepção e é exactamente isso que nos prende ao longo do desenrolar da história que vive com Livy nesta trilogia.

Livy essa, anda literalmente a apanhar os pedaços do seu coração nas semanas após ter descoberto o segredo da riqueza e do modo de vida do único homem que foi capaz de a tirar do buraco onde se escondeu desde a adolescência e de a fazer despertar para a vida.
Agora, sem perspectivas de sair do buraco ainda mais fundo que a ausência de Miller cavou na sua vida, Livy deambula pelos dias a arrastar os converse até ser novamente sugada para o vórtice que é o mundo de Miller, um repleto de acontecimento contraditórios que vão do prazer à dor em meia dúzia de linhas, um mundo que tanto repele Livy mas que alberga um homem que não deixa de a fascinar.

E para quem se quer afastar do mau modelo maternal, Livy encaixa como uma luva na descrição que fazem da sua mãe, tanto física como intelectual.
“Se partimos para um caminho de vingança, é melhor cavarmos duas sepulturas” 
E o que diz de nós a sede de magoar quem mais amamos?
Que segredo se esconde na vida de Miller?
Quem é este homem que se esconde e antagoniza todos à excepção de Livy?
Que personagem do passado de Livy marcará presença neste novo livro dando-nos uma perspectiva mais abragente do presente e do tempo que já passou?
E o fim, onde será que Jodi Ellen Malpas nos deixa deixa vez?
PENDURADAS, é exactamente onde ela nos deixa!

A trademark de Jodi começa a notar-se de uma trilogia para outra, ela é uma sucessão de loucura de eventos, desvendar de segredos, conflitos morais e momentos de prazer intenso que nos deixam numa roda vida e a salivar por mais.
Neste livro apenas senti falta de mais interacção da avó de Livy, do melhor amigo, até das conversas no seu local de trabalho (que parece ter ficado um pouco esquecido) mas por um lado, não me queixo porque obtivemos mais de Miller e especialmente, um olhar mais prologado para William  .
E agora…qual o final que nos deixa pendurados?
Não posso dizer, claro, mas é engraçado que acabei de ler o livro na fila de embarque para um avião, exactamente do mesmo modo que a personagem.
Agora, até sair o terceiro volume, algures nos primeiros dias de Junho, tenho de aguentar a curiosidade enquanto espero por mais uma noite :)

E enquanto andava à procura da playlist (que podem ouvir aqui), encontrei este booktrailer que não só encaixa nos meus gostos musicais como está fiel à imaginação sem dar muitos spoilers.


Jodi Ellen Malpas é uma autora

Sem comentários :