Pesquisar neste blogue

A carregar...

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Divulgação - «O Silêncio do Mar» de Yrsa Sigurdardóttir


A autora de culto Yrsa Sigurdardóttir, ganhou recentemente o Prémio Petrona 2015, que distingue anualmente o melhor romance policial dos países nórdicos. 

Considerada a «rainha do noir nórdico» e segundo a crítica internacional, «O Silêncio do Mar» eserá o seu melhor e mais assustador romance policial. Best-seller em todos os países onde já foi publicado, este enredo que se passa entre Lisboa e Reiquejavique, cruza o policial com o sobrenatural.

«– Mamã morta. – A vozinha límpida da criança era desconfortavelmente clara. Era a última coisa que Brynjar e, sem dúvida, os outros queriam ouvir naquele momento. – Papá morto. – E ainda piorou. – Adda morta. Bygga morta. – A criança suspirou e agarrou-se à perna da avó. – Todos mortos – concluiu, e começou a soluçar baixinho.»

A escrita cinematográfica da autora valeu-lhe recentemente a venda dos direitos de vários dos seus livros para futura adaptação cinematográfica e este novo livro não é excepção, sendo já apontado como um dos mais cinematográficos.

Sinopse:

«Ægir e a família falaram com a Islândia quando o iate estava a deixar o porto de Lisboa, mas nunca mais se soube deles desde então.»
Um iate de luxo abandona o porto de Lisboa tendo como destino Reiquejavique, na Islândia. Despedindo-se das temperaturas agradáveis da capital portuguesa, a bordo seguem sete pessoas que enfrentarão o frio mar daquele inverno, a caminho do norte.

Porém, daí a alguns dias, quando o barco entra no porto de Reiquejavique, ninguém é encontrado a bordo. O que aconteceu à tripulação e à jovem família que seguia nele ao zarpar de Lisboa? O que se teria passado em Lisboa, ou durante a viagem, que possa explicar o desaparecimento?

Este é o cenário do melhor e mais assustador romance escrito até hoje pela rainha do policial nórdico, Yrsa Sigurdardóttir – um mistério sobre o mar, Lisboa, a família, a fama, negócios obscuros e, como sempre, o mal e a conspiração do ódio.

Um livro QUETZAL

Sem comentários :