Pesquisar neste blogue

A carregar...

domingo, 8 de janeiro de 2017

Novidade 20|20 Editora 2017


ELSINORE (Ficção Literária)

Depois de ano e meio de atividade, com 22 títulos publicados, grandes êxitos e obras marcantes, como Vozes de Chernobyl, de Svetlana Alexievich, Born to Run, de Bruce Springsteen, Uma Rapariga É Uma Coisa Inacabada, de Eimear McBride, O Luto É a Coisa com Penas, de Max Porter, ou Depois do Fim, de Paulo Moura, 2017 será um ano muito importante para a ELSINORE.

O aumento significativo de lançamentos consolidará o projeto editorial, permitindo, ainda, a abertura de novas linhas de publicação. O enfoque continuará em escritores consagrados e em novos autores (em primeiro livro ou romance), com uma atenção renovada ao ensaio e a entrada no campo da literatura portuguesa.

Grandes livros, muitos deles premiados (com o Pulitzer e o Man Booker, por exemplo). Todos aguardadíssimos.

O ano começa, em janeiro, com Naquela Língua - Cem Poemas e Alguns Mais, com seleção e organização de Francisco José Viegas. É a primeira antologia da novíssima poesia brasileira lançada em Portugal, um desafio a que o leitor atravesse o Atlântico em busca de outros versos escritos em português. Dezoito poetas com obra publicada exclusivamente no século XXI: Alice Sant'Anna, Ana Guadalupe, Annita Costa Malufe, Caco Ishak, Diego Callazans, Laura Assis, Laura Liuzzi, Leonardo Marona, Luca Argel, Luis Maffei, Maíra Ferreira, Maria Rezende, Mariano Marovatto, Marília Garcia, Naiana Amorim, Nina Rizzi, Roberta Ferraz e Tatiana Pequeno. 

Em fevereiro, A Avó e a Neve Russa, de João Reis, assinala a estreia da Elsinore na ficção portuguesa, uma linha a desenvolver ao longo do ano. Narrado na primeira pessoa (com a perspetiva de uma criança de 11 anos), é um romance feito de inocências aparentes e da coragem com que se veste o deslumbramento das infâncias, sobre a peregrinação de um neto através do Canadá e dos Estados Unidos para encontrar uma cura para os «pulmões destruídos» da sua avó bielorrussa, sobrevivente do acidente nuclear de Chernobyl e emigrante no Canadá. O livro, resultado de uma residência literária em Montreal, é o segundo romance de João Reis, conhecido tradutor de línguas nórdicas. 

Em março, dois autores de referência da Elsinore. Svetlana Alexievich, com Rapazes de Zinco, relato polifónico da Guerra do Afeganistão e do papel que a União Soviética teve nesse conflito. Foi o segundo livro publicado pela Prémio Nobel de Literatura de 2015, obra que consolidou o seu estilo expressivo e original. À semelhança do que fez em A Guerra Não Tem Rosto de Mulher, já publicado pela Elsinore, Svetlana dá-nos o retrato de uma guerra que mutila e desfaz - pessoas, famílias, países e futuros. O livro, construído a partir de dezenas de entrevistas a envolvidos na guerra, foi mal recebido pelo poder político aquando da sua publicação, em 1989. Era o contraditório da propaganda. Ainda de Svetlana Alexievich, As Últimas Testemunhas, no final do ano, com cem histórias nada infantis de crianças na II Guerra Mundial.

De J. G. Ballard, a Elsinore publicará O Reino do Amanhã, o derradeiro romance do escritor inglês, publicado três anos (2006) antes da sua morte (2009) e ainda inédito em Portugal. Como é habitual em J. G. Ballard, trata-se de uma distopia que apresenta uma sociedade num presente alternativo, muito parecido ao nosso mas com diferenças subtis que se revelam fundamentais para o desenlace do livro. Neste caso, um mundo no qual o consumismo e a dependência do desporto como entretenimento se assumem como uma nova forma de fascismo, levando a ações xenófobas e a um nacionalismo desmedido por parte das pessoas. Centra-se num personagem que procura descobrir quem matou o seu pai e porquê.

O ritmo de publicação da Elsinore aumentará a partir de março / abril, desde logo com uma obra sonante: As Guerras de Fátima, de Paulo Moura, a propósito do centenário das aparições de Fátima. Novidades em breve.

Em jeito de síntese, eis mais destaques de 2017, sobretudo do primeiro semestre.

Na área do romance, Ali Smith, com duas obras, o recente Autumn e o How To Be Both, que foi finalista do Man Booker e distinguido com o Baileys Women's Prize for Fiction, o Goldsmiths Prize e o Costa Book Awards.




E duas obras premiadíssimas em 2016. O vencedor do Man Booker Prize e do National Book Critics Circle Award: The Sellout, de Paul Beatty, de quem a Elsinore publicará ainda The White Boy Shuffle. E a fulgurante estreia no romance de Viet Thanh Nguyen, The Sympathizer, que recebeu seis prémios, incluindo o Pulitzer.

Sublinhado ainda para La hora de despertarnos juntos, de Kirmen Uribe, a saga de uma família basca (e da própria região espanhola) da Guerra Civil à atualidade. Um romance muito bem recebido em Espanha, já publicado em diversos países da América do Sul e com traduções em curso em vários idiomas.
Em 2017, também haverá novos livros de autores que já integram o catálogo da Elsinore. Em Junho saem The Lesser Bohemians, de Eimear McBride, autora do romance sensação Uma Rapariga É Uma Coisa Inacabada, e Boy, Snow, Girl, de Helen Oyeyemi, autora dos contos reunidos em O Que não É Teu não É Teu.

A atenção crescente ao ensaio traduz-se em vários títulos, em particular Homo Deus: Breve História do Amanhã, de Yuval Noah Harari, a continuação do aclamado, tantas vezes citado, lido e aconselhado (incluindo por Barack Obama, Bill Gates ou Mark Zuckerberg) Sapiens: História Breve da Humanidade. Para pensar a atualidade e o futuro com um outro olhar.

Ao longo do ano, mais ensaio com The Telomere Effect, de Elizabeth Blackburn e Elissa Epel, duas investigadoras premiadas na área da saúde que revelam alguns dos segredos do envelhecimento dos cromossomas. E também com The Stranger in the Woodsde Michael Finkel, uma história de sobrevivência no Maine, Ódio à Poesia, de Ben Lerner, reflexão sobre a criação poética, Can Non-Europeans Think?, de Hamid Dabashi, resposta não europeia e ocidental ao europeu e ocidental Slavoj Zizek, e The View From the Cheaps Seats, uma coletânea de paixões culturais e de experiências de vida do autor de culto Neil Gaiman.  

TOPSELLER (Ficção)

É em maio que chega um dos livros mais aguardados do ano. Into The Water é o segundo título da britânica Paula Hawkins, autora do surpreendente A Rapariga no Comboio, livro que tem permanecido nos tops de vendas em todo o mundo desde 2015. Envolto em secretismo, apenas podemos adiantar que os leitores podem esperar por um thriller psicológico que manterá o suspense em alta até ao virar da última página.

Mas antes, em janeiro, a Topseller publica Lucrécia Bórgia: A Princesa do Vaticano, figura ilustre e filha do Papa Alexandre VI. C. W. Gortner revela-nos a história fascinante de uma das mais poderosas famílias do Renascimento que dominou a política e a sociedade da época.

Em fevereiro, M. J. Arlidge regressa com O Anjo da Morte, a sexta aventura da detetive Helen Grace. O escritor britânico é já um dos preferidos dos leitores portugueses, sucesso comprovado pela sua passagem pela Feira do Livro de Lisboa de 2016.

Mas o início do ano é também ideal para concluir a publicação de algumas séries. O Fugitivo, de Mason Cross conclui a trilogia Carter Blake; Mark Lawrence conduz a Trilogia dos Espinhos à sua derradeira conclusão, com Imperador dos EspinhosEnvolve-me, de J. Kenner, completa a série Stark International; A Submissão de Lily, de Monica Murphy, encerra a série As Irmãs Fowler; Nobody But You, de Jill Shalvis, é o último livro da série Cedar Ridge e Os 100: Rebellion conclui a tetralogia de ficção científica da autora Kass Morgan. 

Em abril, Maria João Fialho Gouveia que já nos habituou a histórias contadas numa narrativa brilhante, dá-nos a conhecer, desta vez, o rasto da espionagem dos anos 20 no Estoril.

Ainda em maio, a Topseller publicará o mais esperado e aclamado livro da escritora norte-americana Colleen Hoover: It Ends With Us. Autora bestseller e com obra traduzida em mais de 30 línguas, foi em 2016, e pelo segundo ano consecutivo, a vencedora dos Goodreads Choice Awards na categoria Romance. Este It Ends With Us é um romance corajoso e profundamente pessoal, que confirma Colleen Hoover como uma das grandes escritoras da atualidade.

Ainda a tempo das férias de verão, ótimas para pôr a leitura em dia, chega o último livro da trilogia Pessoas Desaparecidas, de Sara Blaedel. Depois de As Raparigas Esquecidas e O Trilho da Morte, a Rainha Dinamarquesa do Thriller brinda-nos com The Lost Woman, uma história em que uma morte com contornos misteriosos revelar-se-á um caso bem difícil de desvendar para a agente da polícia Louise Rick. 
 
VOGAIS (Não-ficção)

Na Toca do Lobo: A História Verdadeira de Dusko Popov. Aqui está um livro que vai dar que falar. O autor americano Larry Loftis vem a Lisboa, em fevereiro, apresentar a história daquele que foi considerado o maior espião da Segunda Guerra Mundial e em quem Ian Fleming se inspirou para criar a personagem James Bond. Popov levava um estilo de vida boémio, sendo frequentemente visto em lugares badalados e acompanhado de belas mulheres. Presença assídua no Casino Estoril, local de eleição para a troca de informações entre espiões, Ian Fleming terá presenciado uma elevada aposta nas mesas de jogo entre Popov e um agente alemão, cena que serviria de inspiração para uma das cenas do filme Casino Royale. Entre o Hotel Palácio e o Casino Estoril, vai viver-se a História ao ritmo de Larry Loftis. 

NASCENTE

Nota para um importante título que será editado sob a chancela da Nascente: The Book of Joy, um bestseller do New York Times que coloca frente a frente, em diálogos deliciosos e inteligentes, Dalai Lama e Desmond Tutu, ambos prémio Nobel da Paz e duas das pessoas espiritualmente mais influentes em todo o mundo. Um livro transversal a gostos literários. A publicar em fevereiro.

BOOKSMILE (Infantojuvenil)

Líder no segmento infantojuvenil, a Booksmile terá em 2017 um catálogo rico em livros de qualidade a pensar no desenvolvimento dos mais pequeninos e no incentivo à leitura desde o pré-escolar. Clássicos da literatura infantojuvenil, contos de fadas que atravessam gerações, histórias tradicionais recontadas de pernas para o ar e narrativas aparentemente simples para temas complexos.

Depois de A Teia de Carlota, ao longo do ano publicaremos mais dois clássicos de E. B. White, autor célebre em todo o mundo pelas suas histórias cheias de peripécias e personagens inesquecíveis. O Pequeno Stuart Little, já em janeiro, e O Cisne e o Seu Trompete, no segundo semestre.

Nos primeiros meses, novo volume, o terceiro, da coleção «A Escolha é Minha», de Margarida Fonseca Santos. Tem como título Está nas Tuas Mãos e trata da doença Artrite Idiopática Juvenil. Os direitos de autor revertem na íntegra para a Associação Nacional de Doentes com Artrites e Reumatismos da Infância. O segundo semestre terá outro volume desta coleção que aborda os grandes desafios da juventude e adolescência.

Em 2017, reedições de grandes êxitos, como O Meu Pé de Laranja Lima, de José Mauro de Vasconcelos. E, antes de um novo conto de fadas virado do avesso (agora João Pé de Feijão e Milady do seu Coração), José Fanha verá o seu recente livro Memórias de um Lobo Mau em segunda edição. Nos dois casos, as ilustrações são de Mafalda Milhões.

Refira-se ainda, entre muitos outros lançamentos, uma nova coleção sobre o admirável mundo da ciência, Clube dos Cientistas, com textos de Maria Francisca Macedo e ilustrações de Sara Paz.

Sem comentários :