quinta-feira, 22 de junho de 2017

Novidade Elsinore :: "O Simpatizante"

Vencedor do Prémio Pulitzer para Ficção 2016


«Porém, no mês em que tem início esta confissão, a minha maneira de encarar o mundo ainda se assemelhava mais a uma virtude do que a um perigo, que é como certos perigos começam por se mostrar.»

Abril de 1975: Saigão está mergulhada no caos. Na sua villa, um general do exército do Vietname do Sul bebe whisky e, com a ajuda do seu capitão de confiança, elabora uma lista com os nomes daqueles que têm permissão para apanhar os últimos voos de saída do país. Começando uma nova vida em Los Angeles, o general e os seus compatriotas desconhecem que, entre eles, existe um espião que reporta as suas atividades às instâncias superiores de comando no Viet Cong.

O Simpatizante é a história desse espião, desse capitão: um homem criado por um pai francês ausente e por uma mãe vietnamita pobre, um homem que foi para a universidade nos EUA, e que regressou ao Vietname para lutar pela causa comunista.

Na melhor tradição dos romances de espionagem, encontra-se nestas páginas a exploração de uma vida entre dois mundos, entre a amizade e a crença política, a lealdade e a identidade, revelando a herança que a Guerra do Vietname deixou na literatura, no cinema e, também, nas guerras que ainda se combatem.

Melhor Livro de 2015
(New York Times Book Review, Wall Street Journal e Washington Post)

Uma novidade

Novidade Quetzal :: "Putas Assassinas"


Um deslumbrante conjunto de histórias do maior escritor latino-americano do século XXI. Este sugestivo título de 2001, publicado ainda em vida do autor, permaneceu inédito entre nós. Aqui surgem algumas das grandes personagens que habitam livros posteriores, Lalo Cura, por exemplo, ou Arturo Belano, protagonista de Os Detetives Selvagens. A realidade confunde-se com sonho; a vida com a morte.

Uma novidade

Novidade Bertrand :: "Seja Parisiense Onde quer que Esteja"


Quatro mulheres talentosas e boémias, com carreiras na música, no cinema, na moda e na publicidade, revelam-nos os seus segredos e falhas, e, num registo espirituoso, ensinam o significado de se ser uma verdadeira parisiense: como se vestir, como se divertir e como se comportar. Levam-nos a um primeiro encontro, a uma festa e a um fim de semana no campo, além de nos dizerem como sermos naturais e misteriosas, bem como o que sentem em relação às crianças, ao ginásio e ao casamento, entre muitas outras revelações.

Uma novidade

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Novidade Elsinore :: "O Fim de Onde Partimos"

«O continente está a arder, dizem em muitas palavras. Depois das cheias, o fogo. Estou a perder a história. Estou a esquecer.»


Enquanto Londres é submersa por cheias fruto de uma misteriosa crise ambiental, uma mulher dá à luz o seu primeiro filho, Z. Dias mais tarde, a família vê-se forçada a abandonar a sua casa, de modo a manter-se em segurança. De sítio para sítio, de abrigo em abrigo, a sua jornada é carregada de medo e esperança, à medida que as pequenas mãos de Z conhecem o mundo que ele vê pela primeira vez, crescendo e esticando-se alegremente contra todas as expetativas.

Num mundo familiar que se tornou perigoso e instável, forçando as pessoas que nele vivem a tornarem-se refugiadas, esta é a história de uma nova maternidade, no centro de um cenário tenebroso: um futuro imaginado tão realista quanto assustador. E, ainda assim, enquanto o país em seu redor começa a ruir, o mundo desta família - um mundo vivo, cheio de esperança reanimada - canta, pleno de amor.

Uma novidade

Novidade Companhia das Letras :: "Humidade"


O desejo cansa. Dá trabalho. É complicado e caprichoso. Ora encolhe sem razão ora assalta sem aviso. 

São desbragadamente divertidas - porque realistas, incisivas e sem tabus - estas e outras histórias de desejo, fantasia, amor e paixão, cumpridos e por cumprir. 

Outra coisa não se esperaria da pena de Reinaldo Moraes.

Uma novidade

Novidade Clube do Autor :: "Café Amargo"

A escritora italiana Simonetta Agnello Hornby vai estar em Lisboa nos próximos dias para apresentar o seu mais recente livro, Café Amargo. Dia 24 estará presente na Noite da Literatura Europeia.


Café Amargo, eleito Livro do Ano por várias publicações, acompanha a vida de uma mulher que não se curva perante o poder masculino. O romance nasce na Sicília, mas a autora transporta-nos até muito mais longe. A protagonista é uma mulher de paixões, marcada também por vários sofrimentos, que engole com altivez como se fosse uma chávena de café amargo.

A história de Maria e das suas escolhas pouco convencionais retrata uma época decisiva da Europa. Falamos dos Fasci, das leis raciais e do período que vai daí até à Segunda Guerra Mundial.

«Café Amargo é um romance histórico único no panorama da ficção contemporânea. A autora apresenta uma escrita densa e, contudo, límpida, insaciável na sucessão de acontecimentos, personagens e ambientes», escreve o La Repubblica

Uma novidade

Opinião "O Milésimo Andar"

Quando mais alto subimos maior tende a ser a queda.
Num mundo que vive nos píncaros da sua evolução tecnológica, que variável senão a humana, para arruinar e descontrolar tudo?


Em "O Milésimo Andar" conhecemos a Torre, a personagem silenciosa e imponente que sem querer acaba por segmentar a nossas personagens e o seu mundo.
Um monstro de ferro numa Nova Iorque que só mantém riqueza e prestígio na vertical, a Torre alberga a nata da sociedade e todas as abelhas operárias necessárias para a colocar a funcionar.
Separados por centenas de andares, com discrepâncias sociais marcadas, o mundo destes personagens acaba por se interligar de uma maneira que só pode acabar em tragédia.
Quando toda a gente caminha perigosamente perto do precipício, quem será que cai primeiro? Quem sempre viveu lá no alto ou quem ousa subir acima das suas capacidades? 

No topo, no 1000º andar vive a Queen B(ee) desta historia. Avery Fuller é perfeita, assim determinada pela cuidada selecção da piscina de genes familiares mas está longe de se sentir assim, não fossem os seus pensamentos os mais imperfeitos e incorrectos de sempre.
Ao seu lado, sempre fiel e amiga está Eris. Confortável com a sua vida de socialite, Eris sente a Torre abanar e cuspi-la para os andares mais baixos quando um segredo de família a afasta do mundo que sempre conheceu e que agora não a reconhece.
Mais abaixo, em eterna desvantagem pela sua secreta inveja e falta de auto confiança está Leda, que tem tudo para ser tudo mas mesmo assim não lhe chega. E quando deixa o namorado e companheiro de "mocas" Cord, é no irmão de Avery, Atlas, que conscientemente (alterada) encontra a solução para os seus problemas.
Muito mais a baixo, socialmente e na Torre, encontram-se provavelmente as minhas personagens preferidas, Rylin, Watt e Nádia.
Rylin é uma lutadora. Trabalhadora do antigo metro, órfã e cuidadora da irmã, vê no trabalho doméstico em casa do riquinho Cord a única solução para fazer frente às despesas, até que um acordo de negócios se torna em algo mais, algo que não deveria acontecer no seu mundo e que o coloca de pernas para o ar.
E Watt é o génio que ilegalmente criou um chip ao qual chamou Nádia e que o ajuda em tudo, desde simples engates em bares até hacks a entidades oficias. Mas quando sem querer o seu mundo se embrulha com o dos pisos superiores, Watt percebe que há momentos que as máquinas não conseguem ultrapassar e compreender a complexidade humana.

"O Milésimo Andar" tem duas mãos cheias de personagens que demoramos um pouco a reconhecer, uma história que nos leva a tentar descobrir "quem?" ao longo e toda a narrativa e toda a as características para ser uma série digna de ser seguida se andasse a passar na TV mas como comentei com uma das nossas seguidoras, gostei mas não amei. Parece que é muita coisa para um livro só. Sim, sim, sei que é uma série e que continua :)
No entanto, o acontecimento que nos deixa em suspenso no início e cuja resposta nos deixa meio surpreendidos no fim, é mais do que razão para querermos saber o que acontece no próximo volume.
Conseguirá a Torre sobreviver como a conhecemos ou o mundo destas personagens ir todo desmoronar?


Uma novidade

Novidade Tinta da China :: "O Casamento"

O único romance escrito por Nelson Rodrigues, pela primeira vez em Portugal


Em apenas 24 horas - aquelas que antecedem o casamento de Glorinha, menina dos olhos do seu pai (até em demasia) - o autor concentra nesta narrativa um desfile intenso de todas as obsessões que tanto o mitificaram como o tornaram maldito: adultério, incesto, moralismo, sexo e morte. Sabino, o pai, é informado que o seu genro foi apanhado a beijar outro homem e tem de decidir o que fazer: o problema é que um casamento não se adia, nem que para isso todas as vidas envolvidas fiquem viradas do avesso. 

O Casamento é o único romance em nome próprio no meio das dezenas de peças de teatro e centenas de crónicas e ficções curtas escritas por Nelson Rodrigues. O livro foi feito por encomenda, concluído em apenas dois meses, e foi confiscado pela ditadura brasileira logo depois de ter sido publicado em 1966 por ser considerado «um atentado contra a organização da família».

Uma novidade


terça-feira, 20 de junho de 2017

Novidade Topseller :: "Reencontro com o Amor"

Ruby e Ethan eram perfeitos um para o outro…


Dez anos depois de se separar de Ethan, Ruby continua solteira e obcecada com a sua carreira e a vida agitada de Manhattan. Mas com a data do casamento da sua irmã a aproximar-se, Ruby terá de prescindir de uns dias da sua vida ocupada para viajar até Inglaterra.

Contudo, ausentar-se do emprego e dispor de uns dias para uma viagem não é o único problema de Ruby — Piper vai casar-se com o melhor amigo de Ethan, pelo que também este estará presente no evento.

À medida que o grande dia se aproxima, e enquanto ajuda nos preparativos para o casamento, Ruby terá de perceber se a escolha que fez no passado foi a correta. Passada uma década, poderão Ruby e Ethan retomar a sua história de amor?

Uma novidade

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Novidade Topseller :: "O olhar da mente"

Por vezes, a verdade está mesmo à nossa frente.
Só a justiça é cega.


Uma manhã, o conceituado professor Janek Mitter acorda completamente desorientado no seu apartamento. Com a cabeça a latejar, sem se lembrar de nada da noite anterior, vagueia pela casa até encontrar a mulher, Eva Ringmar, morta na banheira. Apesar de Mitter ter chamado logo a polícia, é considerado o principal suspeito do crime.

Quando o experiente inspetor Van Veeteren é chamado para investigar o caso, duvida imediatamente da simplicidade do mesmo, mas Mitter acaba por ser julgado pelo homicídio da sua companheira e é condenado a cumprir pena num hospital psiquiátrico.

Quando, pouco tempo depois, o professor aparece assassinado no hospício, Van Veeteren reabre o caso e avança com uma investigação às duas mortes. Partindo de uma carta enviada por Mitter pouco tempo antes da sua morte, o inspetor entra numa aterradora viagem a um passado terrivelmente sombrio.

Uma novidade

domingo, 18 de junho de 2017

Novidade Edições IN : Super Bowls



Simples e Saudável. Receitas para taças cheias de estilo.
Um tipo de refeição que é a última tendência gastronómica, seguida por várias bloggers e figuras públicas.

Em Super Bowls vão descobrir o segredo para ter, numa só taça, uma refeição simples, completa, saudável e nutritiva. 

Uma forma prática e inovadora de manter uma alimentação equilibrada e saborosa, desde o pequeno-almoço até ao jantar.


Novidade Ideia-Fixa :: "Manual para uma Marmita em Três Tempos"



Este volume reúne receitas rápidas, práticas e deliciosas para a sua marmita. Pode levar a sua comida feita em casa para onde quiser! Este livro inclui receitas de snacks, de carne, de peixe, de pratos vegetarianos, e ainda quatro planos semanais de completar o seu mês.

Uma novidade

Novidade Matéria-Prima :: "Coma à Vontade! Sem glúten, natural e com sabor"


Quando Rita Mendes Correia descobriu que o filho era intolerante ao glúten, parecia o fim do mundo. Quer nos restaurantes, quer no supermercados, os alimentos pareciam ser proibidos; a própria dispensa era um desafio para a saúde do filho. Rita largou a sua carreira para se dedicar a encontrar refeições simples e saborosas que o filho pudesse comer em segurança e partilhar com o resto da família. O resultado? Este livro e uma empresa que já mudou a alimentação de muitas crianças e adultos. 

Encontre aqui dezenas de receitas que o vão deixar com água na boca e que podem ser consumidas por todos, com qualidade e segurança. 

Aprovado pela Associação Portuguesa de Celíacos.

Uma novidade 

sábado, 17 de junho de 2017

Novidade Topseller :: "O Diagrama de Zenn"

«Quanto mais toco, mais consigo ver e entender, e mais penso que posso ajudar. Mas é esse o meu erro. Não posso ajudar ninguém. Não se consegue “resolver” os problemas das pessoas como se resolvem os de matemática.»


Eva é uma supergeek da matemática e há uma razão para ela preferir os números e as calculadoras ao convívio normal entre jovens. Poucos o sabem, mas basta que Eva toque com as mãos em alguém — ou nas suas coisas — para ter visões que lhe mostram as inseguranças, receios e segredos dessa pessoa. Por isso, ela prefere manter as mãos bem guardadas e ficar na sombra. E tudo parece correr bem!

Quer dizer, tem 17 anos, nunca teve namorado e tem apenas uma amiga, mas não é uma completa aberração! Até que chega o dia em que o charmoso e solitário Zenn Bennett entra na sua vida! É amor ao primeiro toque! No entanto, quando ela mergulha no mundo de Zenn, descobre que afinal as coincidências que os unem são demasiado duras… e poderão separá-los para sempre.

Um romance fresco e inocente, em que os personagens Zenn e Eva nos deixam rendidos à ironia dos seus destinos.

Uma novidade

Novidade Suma de Letras :: "O Castelo de Vidro"


O Castelo de Vidro é a história extraordinária de uma família profundamente disfuncional e tremendamente vibrante. 
São uma família nómada. Vivem aqui e ali e sobrevivem como podem. 

É uma história cheia de amor de uma família que se ama, mas que também se abandona, que é leal e dececionante ao mesmo tempo.

É uma daquelas leituras que nos mudam para sempre.

Uma novidade


sexta-feira, 16 de junho de 2017

Novidade Nuvem de Tinta :: "A Língua de Fora"

Um Verbo ditador, uma Língua Portuguesa prisioneira e um herói apaixonado — uma guerra pela liberdade da palavra travada nos bosques da ficção.


Era uma vez, num reino longínquo, um rei tirano, uma princesa prisioneira e um jovem revolucionário.
Se sempre tiveste alguma dificuldade em perceber o quem é quem da gramática portuguesa e distinguir o Eufemismo da Metáfora não é assim tão óbvio, depois de leres A Língua de Fora tudo te parecerá, pleonástica e metaforicamente, claro como água.
Esta fábula sobre a formação e evolução da língua portuguesa prende-nos à leitura desde a primeira página pela insuperável originalidade bom humor da narrativa, mas, mais do que isso, mostra-nos a importância da resistência à opressão, o valor de todas as formas de liberdade e a força imensa da união

Uma novidade


Opinião "A Educação de Eleanor"

“If one’s different, one’s bound to be lonely.”
- Aldous Huxley, Brave New World 


Quando li a sinopse de "A Educação de Eleanor" fiquei com os pratos da balança a pender entre o drama ou e comédia. Estava captivada para descrição de Eleanor e da sua vida mas será que estava preparada para o que encontrei?
Há livros que nos surpreendem, não pelo que encontramos na história mas pelo que encontramos em nós ao lê-los e "A Educação de Eleanor" encontrou em mim sorrisos, momentos de estupefacção, gargalhadas, lágrimas e um aperto de compreensão e compaixão no peito.

Se ao início Eleanor vos parecer estranha, desapegada do mundo e da realidade, nada temam. A carapaça dura que inconscientemente usa à sua volta é produto da educação, do tempo e da vida que teve. 
Eleanor vive com os fantasmas do passado como uma sombra constante sob a sua cabeça, a moldarem-lhe a actos, os pensamentos e a suprimirem-lhe as emoções.
Os anos que viveu com a sua mãe foram poucos, comparativamente à dita maioria, mas foram os suficientes para a magoar e marcar para todo o sempre. Se há marcas feitas bem fundo no seu carácter, auto estima e educação, já outras que Eleanor carrega bem aos olhos dos outros.

O que impulsiona as outras pessoas a viverem a sua vida em nada afecta Eleanor. Numa rotina casa-trabalho-casa, com refeições pré-estabelecidas e um ritual de fim de semana regado a vodka no isolamento de sua casa, Eleanor vive alheia do mundo, quer por auto imposição, quer por nunca ter conseguido desenvolver ligações de amor e amizade ao longo da sua vida.
Mas tudo está prestes a mudar, com alguma resiliência sua e de quem a rodeia, quando se vê obrigada a pedir ajuda para um louco projecto pessoal e acaba, sem saber bem como, por ajudar um idoso que cai na rua.
Daí em diante, a existência de Eleanor sofre as mais espectaculares transformações, que acabam por nos revelar, entre momentos cómicos e outros bem duros, que a educação de Eleanor foi menos normal.

"Segurei numa mão com a outra e tentei imaginar como seria a sensação da mão de outra pessoa a pegar na minha. Houve alturas em que pensei que morreria de solidão. Por vezes, as pessoas dizem que estão a morrer de tédio ou que estão a morrer por uma chávena de chá, mas, para mim, morrer de solidão não é uma hipérbole."

Eleanor estranhou-se mas depois entranhou-se, pelo menos em mim. Encontrei nela alguém inteligente, desafiante e peculiar, e na sua história, uma jornada de redenção interna e descoberta do mundo onde até então era um corpo estranho. A solidão é uma capa pesada de se usar, seja qual for a razão pela qual nos pousou nos ombros e ver Eleanor a despojar-se da sua é qualquer coisa de espectacular.

Adorei levar Eleanor de viagem e sei que um dia regressarei a esta leitura, talvez porque saiba que agora "Eleanor Oliphant is completely fine"

"A Educação de Eleanor" é uma novidade

Novidade Quetzal :: "Para além da crença"


Para Além da Crença é o resultado da viagem de cinco meses que V.S. Naipaul empreendeu em 1995, pelos países muçulmanos não-árabes - Indonésia, Irão, Paquistão e Malásia - em que descendentes de convertidos ao Islão vivem em desacordo com as tradições indígenas e em que sonhos de pureza islâmica entram em choque com realidades económicas e políticas. Um livro sobre um dos temas mais importantes e fraturantes do nosso tempo - mas não é um livro de opinião. É - e à maneira de Naipaul - um livro muito rico e muito humano, cheio de pessoas e de histórias.


Uma novidade

Novidade Bertrand :: "Mães Arrependidas"

«Donath põe sobre a mesa o debate de um tabu, uma realidade negada e em grande parte fruto da pressão social imposta às mulheres.»
La Vanguardia


Um tema tabu que começa lentamente a ser discutido: mães que se arrependeram de ter filhos. Mães Arrependidas levanta a discussão pública sobre um tema quase inteiramente silenciado: a vasta quantidade de mulheres que, depois de serem mães, não encontraram a profetizada "plenitude" na maternidade e, muito embora amem os seus filhos, desejariam não ser mães de ninguém. Com base num ensaio que a socióloga Orna Donath, da universidade Bem-Gurion, elaborou para uma publicação académica, este livro apresenta uma análise intrigante sobre um fenómeno de uma atualidade premente.

Uma novidade


quinta-feira, 15 de junho de 2017

Novidade Topseller ::"Uma mãe como tu"

Quando Alice descobre que está gravemente doente, a saúde é o menor dos seus problemas. Zoe. O que será da sua filha Zoe?


Alice e Zoe sempre viveram uma para a outra. Sem ninguém em quem se apoiar, Alice dedicou a sua vida à filha. Mas de um momento para o outro, a realidade desta família altera-se: Alice adoece e o prognóstico revela o pior cenário. Mais do que nunca, ela precisa de encontrar uma solução para o futuro de Zoe.

É então que duas completas desconhecidas trazem alguma esperança a Alice: Kate, a enfermeira oncologista, e Sonja, a assistente social que lhe fora atribuída durante os tratamentos. À medida que as quatro mulheres se vão conhecendo, acabam por lidar com problemas que há muito as atormentam. Juntas, encetam uma jornada de descoberta, que lhes permitirá enfrentar os seus medos e assumir os seus segredos mais profundos.

Uma Mãe como Tu é um romance inesquecível. A comoção e o humor da escrita de Sally Hepworth irão despertar os mais belos sorrisos, mesmo nos momentos mais sombrios.

Uma novidade

Novidade Planeta :: "Se conhecessem a minha irmã"

O meu nome é Irini. Eu fui dada... O meu nome é Elle. Eu fiquei.


Duas irmãs, duas vidas separadas.
Uma família marcada por um segredo angustiante.
Durante toda a vida ela pensou que foi dada porque a família não a desejava.
Mas e se a verdade é algo muito pior?
Uma história que revela como os laços e segredos de família podem ser letais. 
Arrepiante e trágica na mesma medida.

Uma novidade

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Novidade Topseller :: "The Call"



Três minutos
Uma trombeta soa à distância. Foste Chamado. Agora, à tua volta, só vês cinzento. Este novo mundo não tem cor e sabes que vais começar uma corrida contra o tempo. Tens apenas três minutos para te agarrares à vida.

Dois minutos
Os Sídhe estão cada vez mais perto. Consegues ouvir as vozes deles, as gargalhadas sedentas de sangue e o som dos seus passos. Achas que estás preparado. Sabes tudo sobre eles. Sabes exatamente o que fazem aos jovens como tu, quando os conseguem apanhar. São tão belos como terríveis, tão simpáticos como cruéis. Já te viram. Resta-te fugir.

Um minuto
Se não correres, se não te esconderes, podes desaparecer a qualquer minuto e ficar, para sempre, nesta terra de horrores. A caçada já começou e tu és a presa. Conseguirás sobreviver?

«The Call é uma história de sobrevivência que sobressai entre todas as que existem. É uma lufada de ar fresco, fantástica e poderosa.» — The Bookbag

Uma novidade

Novidade Leya :: "Fantasia para dois coronéis e uma piscina"


Sinopse
Dois coronéis discutem Portugal à beira duma piscina, num monte alentejano. Nada lhes escapa. Duas mulheres mostram-se, em tudo, contrárias entre si. Um jovem vedor de água e jogador de xadrez, de muito bom feitio, arroja-se por essas carreteiras no seu estafado Renault 4. Um tio misógino aconselha sabiamente o sobrinho. Soraia Marina, capitosa cantora pimba, embala as almas simples. Gil Vicente e o pote de Mofina Mendes também marcam presença. E um narrador curioso intervém com as suas perspicazes considerações, sob o olhar sempre atento de um mocho e de um melro, que assistem e, às vezes, comentam.

"O certo é que Mário de Carvalho gosta de nós e, no fundo, quer apenas divertir-nos. Enfim, talvez dar também alguma instrução."
Rui Zink, in Prefácio

Opinião "Dúvida Razoável"

Esta leitora não precisa de aprender o jargão jurídico para se defender do crime cometido.
Sou culpada de ter adorado este livro. Condenem-me a uma pena de luxúria igual à descrita nesta história e sou uma presidiária feliz para o resto da vida.
:) 


Quando li a sinopse de "Dúvida Razoável" dei comigo a pensar "enah enah, uma história com advogados". Não tenho qualquer inclinação para a profissão, nem nada que se pareça. Achei engraçado porque recentemente comecei a ver a SUITS :) e adorei estar dentro da mesma área tanto na leitura como no vício netflix. E vá, uma parte de mim andava a imaginar o Harvey como sendo o Andrew...só sabe quem vê! :) 

Conhecemos Andrew e bem....não posso dizer que seja fácil gostar dele logo à primeira vista.
Um advogado convencido, adepto de escaldantes encontros casuais com mulheres que conhece online, Andrew não nos fica propriamente em grande conta quando por intolerância às mentiras tem uma atitude nojenta e machista.
No entanto, há medida que o ficamos a conhecer, vamos dando razão às suas duas máximas "Só casos de uma noite" e "intolerância zero a mentiras".
Gato escaldado de água fria tem medo e Andrew ainda sente as queimaduras que o seu passado deixou em si.
6 anos não foram suficientes para apagar o quanto sofreu mas bastaram para que ele construí-se à sua volta um muro incapaz de ser transposto, por isso, quando uma simples advogadita lhe pede conselhos online e acaba por se tornar a única sombra de amizade na sua vida, Andrew não sabe o quanto a sua rotina pecaminosa e desprovida de sentimentos está prestes a mudar.

Aubrey não é advogada, pelo menos por enquanto, e o chat onde conhece Andrew (ou devo dizer Thoreau!) devia servir apenas o propósito de lhe permitir obter alguma ajuda para o curso que batalha para tirar enquanto se esmifra para ser bem sucedida na sua grande paixão, o Ballet. A última coisa que esperava encontrar online era alguém que além de uma ajuda, se tornasse um amigo e uma possível atracção, por isso, a regra de NUNCA relevar a sua verdade identidade e NUNCA vir a conhecer Thoreau cai completamente por terra quando, por um grande acaso do destino, o seu estágio de advocacia acaba por ser....sob a alçada do experiente e pecaminoso Dr. Andrew Hamilton.


O que podia ser o início de uma grande explosão de luxúria é, logo para começar, uma grande discussão, um vulcão de ira.
Andrew abomina mentiras. Sente-se enganado e a última coisa que quer é estar próximo de Aubrey. 
Mas...que moral tem ele para falar de mentiras se não revela os seus segredos a ninguém!?

"Dúvida Razoável", com as suas aberturas de capítulo jurídicas, com explicações que encaixam como uma luva na cena que se segue, ESTÁ ESPECTACULAR.
Que estreia brutal em Portugal para a autora Whitney G que eu, muito infelizmente, não conhecia até então.

Esta história devora-se!
Oh Deus que confusão, que batalha louca entre o desejo, a traição, os traumas do passado e o desejo de singrar naquilo que mais se gosta de fazer. 
E estes dois....são fogo, daquele que dá gosto ver arder (sem quaisquer inclinações piromaníacas, ok!?)

Precisam de leitura que coincida com o calor que se faz sentir na rua ?
"Dúvida Razoável" é o livro que querem ler.
Acreditem em mim. Juro dizer a verdade e nada mais que a verdade ;) 

Uma novidade