sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Opinião "Perdida em mim"

Sara, Sara, Sara....em que caminhos sinuosos te meteste ao começares a preencher os espaços vazios deixados por Rebeca? Nem fazes ideia de quem é quem, nem mesmo tu.
Porque algo me diz que isto, antes de acabar bem, ainda vai correr muito mal?! 


Desde que deixámos Sara em "Escondida em ti", naquele momento de puro terror (e alguma claustrofobia), que esperamos saber como tudo vai correr para Sara e se a sua jornada sempre a leva à verdade sobre o desaparecimento de Rebecca e a estranha ausência da sua amiga Elle.

Sara tem muito com se preocupar enquanto tenta dar o seu melhor no seu emprego de sonho. Dividida entre descobrir a verdade, manter os limites com o seu chef e derrubar barreiras com Chris, Sara passa por uma roda viva de emoções e acontecimentos neste "Perdida em mim" que finalmente nos dá muitas respostas, excepto aquelas que podem decidir o futuro de Sara ao lado de Chris. 
Com que demônios terão de lutar para que fiquem finalmente rendidos um ao outro? 
Que segredos os esperam do outro lado do Atlântico? 
Que parte de Chris ainda falta conhecer?

 Os segredos de Sara que descobrimos neste livro permitem-nos, ao contrário do que acontece no primeiro, estabelecermos uma maior ligação com ela, mesmo que não concordemos com ela ou tenhamos vontade de gritar "não vas por aí" como se faz num filme de terror quando aquela personagem ouve um barulho e desce as escada para a cave. Vamos lá ver de Sara não se elimina por completo para aceitar ser um Nós com Chris. 

À semelhança de "Escondida em ti" (opinião aqui), também fiz uma leitura sprint a este segundo livro da série que eu pensava ser apenas uma trilogia. 
Sentimos uma certa necessidade de correr para a próxima cena, embora goste de levar o meu tempo a saborear as cenas retiradas dos diários de Rebecca.

 Próxima leitura, feita de seguida, "Rendida a nós" o terceiro e último livro da Serie de Lisa Renée Jones, uma aposta

Sem comentários :