segunda-feira, 26 de março de 2018

Opinião "Boneca de Trapos"


Um corpo, seis vítimas.
Só isto é capaz de convencer um leitor a pegar neste livro. Convenceu-me a mim.
Bem, isto e algo que o editor do livro não admite ter dito 
"É como o Seven...mas mais engraçado".



Uma grotesca criatura, composta por partes de seis vítimas, aparece pendurada num apartamento comum no meio de tantos outros em Londres. 
No local estão presentes membros da equipa da Scotland Yard e o recém-integrado Inspector William Fawkes, também conhecido por Wolf. Afastado da força quatro anos antes, Fawkes representa um espinho na equipa devido ao violento incidente em que se envolveu mas é uma peça importante para o desenvolvimento deste caso. Sabem é que....a boneca de trapos deixada pelo assassino aponta para o seu apartamento do outro lado da rua.
 Enquanto os detetives tentam identificar todas as vítimas, Andrea, jornalista e ex-mulher de Fawkes, recebe um envelope com o nome das próximas vítimas. E o último nome da lista? O Detective Fawkes. 

O que mais gostei, além dos detalhes arrepiantes e do twist final, foi o facto de a polícia ter de lidar com um assassino inteligente, que parece estar sempre um passo à frente de toda a gente. 
Conseguiram Wolf e a equipa da Scotland Yard salvar as pessoas na lista? 
Quem segura a agulha?
Quem lhe deu linha para coser estas vitimas que à primeira vista não têm qualquer relação umas com as outras?
Porque aponta para Wolf a monstruosidade suturada que o assassino criou?

"Boneca de Trapos" é qualquer coisinha de arrepiante e empolgante e que é bem capaz de ser consumida em poucas horas se não tiverem cuidado. 
​O fim deixou-me apreensiva, do género "isto acaba assim?!" mas depois fui ao Goodreads e percebi...ohhh wait, isto é uma série!!!Assim sim, não me importo com o fim. Que venha a continuação. 

Sempre gostei de Detectives, Polícias e Investigadores que não jogam com o baralho todo, que não seguem as regras e que fazem tudo para ver um caso resolvido. Lembrou-me a Helen Grace do Arlidge.

O único "NÃO" neste livro é mesmo um personagem que é bastante importante e interessante mas que acaba por não ter fundamento, na minha opinião. Como é que numa equipa de detectives de Homícidio da Scotland Yard é o gajo que veio do departamento de Fraudes o que mais conhecimentos tem em traçar o perfil de um assassino? Algo não bate certo! Mas talvez tenha sido eu que peguei de ponta com o moço porque na realidade ele torna-se uma personagem e tanto ao longe deste "Boneca de Trapos".

PS: A cena do saco à beira da estrada....JESUS...onde é que estes escritores vão buscar inspiração?

"BONECA DE TRAPOS" é uma aposta

Sem comentários :