sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

No Jardim dos Monstros de Eric Larson

 (mais informação no site Bertrand Livreiros)

Creio que foi a primeira vez que li um livro inteiramente baseado em acontecimentos reais, é mais um livro histórico que um romance (ou thriller como é classificado). Talvez por possuir um conhecimento circunscrito ao que estudei na escola sobre a ascensão de Hitler e os anos em que esteve no poder, toda a informação que obtive com a leitura de "No Jardim dos Monstros" tenha despertado em mim uma crescente curiosidade de pesquisar e ler mais sobre estes anos conturbados e de terror que se viveram na Alemanha e um pouco por toda a Europa.

Desconhecia a Família Dodd mas já oportunidade de pesquisar mais sobre William, o Embaixador e a sua filha Martha, que ficou conhecida pelos seus muitos amantes e pela associação com a União Soviética, para a qual foi espia na Alemanha e no seu próprio país.

O papel da Família Dodd na Alemanha em 1933/37 é, ainda hoje, analisado de maneiras muitos diferentes. Uns dizem que a nomeação de Dodd fora um erro do então Presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt e que, como Embaixador em Berlim, o professor académico nada concretizou e apenas ridicularizou o Governo Americano e os seus compatriotas por levar um vida modesta e de brandos costumes. Enquanto outros afirmem que Dodd foi a única voz activa contra uma Governo opressor que dominava a Nova Alemanha nesses anos, enquanto o seu próprio Governo nada fez para travar Hitler.


Fascinante é o extenso trabalho de investigação realizado por Erik Larson para a composição deste livro, onde cita milhares de documentos, livros e correspondência trocada entre os intervenientes.
Os factos históricos misturam-se com a vida quotidiana de personagens famosas e de outras que apenas agora, com a leitura do livro, fiquei a conhecer. A escrita é cativante e ao longo do livro cria-se uma vontade enorme de chegar aos momentos de mais tensão, que atinge o pique com a descrição da fatida noite de 30 de Junho de 1933, conhecida como A Noite das Facas Longas, quando Hitler decidiu executar dezenas de membros políticos, especialmente das SA e prender milhares de pessoas, incluído Ernst Röhm.

Talvez não seja um livro que agrade a toda a gente mas para os curiosos sobre a época, por mais trágica que seja, este pode ser uma óptima fonte de informação e referência para outras tantas obras e escritos (listados ao mais ínfimo pormenor no livro, que possui dezenas de paginas de notas de rodapé)

Sei que no dia que visitar Berlim, irei com toda a certeza procurar referências ao que li em "O Jardim dos Monstros".


Novidades que acabei de descobrir enquanto procurava as imagens indicadas para ilustrar a minha crítica. Tom Hanks está apalavrado para interpretar o papel de William Dodd na adaptação cinematográfica de No Jardim dos Monstros, do qual será igualmente produtor. O lançamento está previsto para 2014, segundo o IMDB. Existem rumores que Natalie Portman poderá ser a actriz escolhida para o papel de Martha Dodd.

Eu gosto de livros que se tornam em filmes!!

1 comentário :

Belmiro disse...

Se se interessa por essa época sugiro-lhe a leitura da "Correspondência de um diplomata no II Reich" de Lina Alves Madeira. O nosso embaixador foi Veiga Simões, ministro acreditado em Berlim de 1933 a 1940. São relatórios extraodinários para o Governo português. Jamais li análises tão sérias, finas, e lúcidas sobre aqueles tempos.