Pesquisar neste blogue

A carregar...

terça-feira, 8 de abril de 2014

"Deseja-me" :: Opinião

 ​Quando resistir é inútil mais vale sucumbir à dolorosa via do prazer.
E Nikki ainda agora começou a percorrer os caminhos por onde Damien a leva.
Juntos no prazer, na paixão e nos dramas que ocupam a mente e os dias de ambos, Nikki e Damien vão lutar para não serem assoberbados pelo mundo que os rodeia.

Sabes o que é paixão?
A maior parte das pessoas julga que se trata apenas de desejo, excitação sexual, entrega sensual. Mas isso não é tudo. A palavra vem do latim e significa sofrimento, submissão. Dor e prazer Nikki, PAIXÃO

(enquanto lia uma cena do livro foi esta a música que ouvia na minha cabeça - Blue Jeans de Lana del Rey)
SINOPSE

Aqui avançamos na história à medida que se torna conhecida a ligação de Damien e Nikki, primeiro para os amigos, família, inimigos e o resto do mundo. Conseguirá o recente romance sobreviver à vista de todos e sob os holofotes da opinião pública?
A corrida de barreiras que é a recente relação entre Nikki e Damien vai derrubando obstáculos mas no seu caminho logo surgem novos elementos que podem abanar o pequeno casulo destes amantes. O passado de Nikki foi-nos relevado no primeiro livro, não obstante, por vezes ainda surgem à superfície resquícios dos seus problemas e dos traumas que a acompanham desde a juventude e dos tempos em que a mãe a submetia ao tratamento "miss barbie perfeita" e que a marcaram para sempre. Em "Deseja-me" concentramo-nos em Damien, nas especulações de Nikki sobre o seu passado, nos pequenos passos que ambos dão para que Damien partilhe detalhes da sua vida e do tempo em que, tal como Nikki, foi obrigado pelo progenitor a fazer algo que não queria, a prolongar a sua carreira desportiva.

Como li os dois livros seguidos tenho alguma dificuldade em separar os dois momentos, o início da história em "Liberta-me" e o desenvolvimento em "Deseja-me".
Gostei muito mais de ler o segundo, obviamente, porque já conhecia as personagens. Já queria saber se Nikki teria estofo para continuar numa demanda pela sua libertação sexual (liberdade que entrega de bom grado ao pulso firme do amante), se Damien iria sucumbir às regras do seu próprio jogo, se os melhores amigos de Nikki iam apoiar ou reprovar em alto e bom som a recente ligação do casal e se todos os dramas do passado seriam capazes de os afastar. Pior, queria saber que provações iriam fazer com que Nikki quebrasse e Damien revelasse o que andamos a pensar ser o seu tormento.

Se leram a minha opinião sobre o "Liberta-me", devem ter reparado que fiquei contente com a novidade que foi para mim ler algo centrado na personagem feminina, nos seus dramas e lutas.
Em "Deseja-me", embora o casal seja o destaque, é Damien que se desnuda perante os nossos olhos e que muito arduamente cede os segredos do seu passado. Está continuação está cheia de altos e baixos, de cenas escaldantes e momentos de pânico pelas situações em que vemos os personagens inseridos mas é o facto de ficarmos a conhecer melhor Damien e as suas motivações para ser apelidado de iceberg por uma das personagens que mais gostei, que me agradou mais. Com "Deseja-me", Damien já não é apenas o ricaço sedutor com a mania do controlo que conhecemos inicialmente. Por detrás da faceta fria que mantém como escudo para o mundo, é apenas um homem e é Nikki que permite que esse lado se mantenha à toa.
Na realidade, eles são a boia de salvação um do outro e é nos momentos mais íntimos, ousados e violentos que encontram a paz que tanto necessitam e lhes é restaurada a capacidade de enfrentar o que se segue.

Dizem que o melhor remédio é o riso, mas parece que a receita aqui é sexo do bom, imaginativo e ardente, capaz de incendiar tudo à sua volta.

Mais ou menos a meio do livro estava um pouco exausta com a quantidade de cenas intimas mas pelo menos a autora consegue fazer com que a cada cena haja a promessa que a seguinte será ainda melhor, mais intensa, mais marcante e que irá com certeza aproximar ainda mais as personagens que por esta altura já não conseguem suportar a ausência um do outro.

Gosto que não existam confissões e promessas de amor desmedido. O período de tempo em que decorre a narrativa é curto, a necessidade física é avassaladora mas existe demasiado destemperamento emocional em ambas as personagens para confessarem em primeira mão que este vício que têm um do outro é amor. Até pode ser mas não à superfície, não quando existe ainda tanto por desvendar, tanto para revelar um ao outro.
A relação entre Nikki e Damien começa de um modo que muita gente até pode achar frio mas na realidade começou muito antes disso, depende sempre de onde achamos que está a casa da partida.

Para mim, esta história e a sua abundante quantidade de cenas tórridas está muito boa e sei que preciso de saber o que nos espera no terceiro livro - "Completa-me" (Setembro 2014). Há lugar para de tudo um pouco, dramas pessoais, jogos de poder, total submissão e muita história para revelar ao longo dos três livros que compõem a trilogia passada na quente Los Angeles.

Eu quero saber como é que acabam felizes e excitados para sempre!

Nota: quando li o primeiro livro achei curioso a capa ter um elemento muito presente no livro (a cama de ferro), principalmente nas cenas intimas. Mais interessante foi o momento em que a meio do segundo livro percebi que o lenço cor de rosa na capa figura igualmente ​numa cena ​marcante ​a dois.


Uma leitura com o apoio
  Agora deixem-me divagar um pouco...

Por vezes tenho vontade de questionar se não existe por ai um romance erótico entre uma rapariga sexualmente activa mas insatisfeita e um homem medianamente bonito, que não tem taras de amarrar e chicotear ninguém mas que sabe o que faz na cama e como não é podre de rico tem de usar as suas qualidades e defeitos para a deslumbrar à meia luz no T1 que tem ali para os lados de Benfica. Não há, pelo menos escrito, não é?
Matava o romance!  Será?
Mas a verdade é que por vezes ao ler isto pergunto-me quantas cabecinhas tontas não andam para ai a sonhar com um Christian Grey ou um Damien Stark que as leve a passear de helicóptero e a fazer compras em lojas caras para depois terminarem o dia a amará-las à cama para nada mais nada menos que uma mão cheia de orgasmos. Este deve ser o novo conto de fadas :) Adeus Príncipe encantado, olá bonzão rico, bonito e dotado com gostos kinky e capacidades de performance sexual sem falhas. ​

​Yeah right, caro vizinho giro e interessante com o T1 em Benfica​​, preferia ler a tua história! Raios, eu era capaz de a escrever :)

4 comentários :

EfeitoCris disse...

é isso, escreve! ;)

Mariusky Spínola disse...

"Por vezes tenho vontade de questionar se não existe por ai um romance erótico entre uma rapariga sexualmente activa mas insatisfeita e um homem medianamente bonito, que não tem taras de amarrar e chicotear ninguém mas que sabe o que faz na cama e como não é podre de rico tem de usar as suas qualidades e defeitos para a deslumbrar à meia luz no T1 que tem ali para os lados de Benfica. Não há, pelo menos escrito, não é?"

Porque não pegar nisso e fazer com a SD Gold, transformar-se na E.R. Silver e escrever esse tórrido romance que sucede pelos lados de Benfica?? Acho que a parte da criatividade está provada!! ;)

CarolinaRVSantos disse...

Gostei imenso dos teus comentários! Confesso, sou fã de 50 Sombras de Grey, e já os li todos.. Comprei ainda ontem "Deseja-me" mas pensei que este fosse o primeiro... Recomendas que leia primeiro o "Liberta-me" ou posso começar com este ? E entao dpois ler o primeiro? Estou desejosa de os ler todos...

ElsaR disse...

CarolinaRVsantos, tens de começar pelo início, pelo "como se conheceram" senão falta-te um grande pedaço do puzzle