Pesquisar neste blogue

A carregar...

domingo, 26 de outubro de 2014

Opinião :: "Surpreende-me" de Megan Maxwell

“Surpreende-me” é a luta sensual e desvairada entre dois teimosos que se desejam, que se amam mas deixam o orgulho e as ideias pré-concebidas levar a melhor do seu coração. 
Se Eric e Judith nos fizeram arder, Björn e Melanie vão deixar-nos de rastos, completamente derretidos.


Reencontrar Björn, o grande amigo amigo de Eric e Judith, é sempre um prazer. Irremediável sedutor, vive para desfrutar da companhia e do corpo de amigas, sem nunca dar o seu coração. Não por falta de oportunidade mas porque as candidatas que se passeiam à sua volta nunca preencheram os requisitos, nunca nenhuma foi capaz de mexer com ele, de o surpreender. Embora satisfeito com a vida hedonista que leva, Björn reconhece um vazio em si, especialmente desde que Eric e Judith estão juntos e com um amor capaz de sobreviver a terramotos e tempestades.

Já no caso de Melanie, a história é completamente diferente. O seu coração sofre pela perda do amor da sua vida e pai da sua filha. O passado marcou-a profundamente e habituada a viver num mundo de homens, a decidida Tenente Parker tem aquilo que quer e como quer mas no fundo, há uma mágoa em si e jura a pés juntos não voltar a amar mais ninguém. Melanie, uma mulher de armas, mãe solteira e com uma atitude que ocupa vários metros quadrados é o reagente na explosão que marca os momentos em que se cruza com Björn. Desde o primeiro momento que Ironwoman e o James Bond se cruzam que existe faisca entre eles. Ambos decididos, frontais, gozões, sem meias medidas mas secreta e terrivelmente atraídos um pelo outro, vão picar-se até à exaustão. Ah a velha tensão sexual! Para mim foi a receita certa para me arrancar umas gargalhadas, porque Melanie tira o controladíssimo Björn do sério e isso é sempre uma qualidade que eu aprecio nas pessoas.

Para Björn e Melanie a atracção não era suficiente. A percepção de que ambos gostavam dos mesmos jogos foi o que os aproximou, o derradeiro passo. O entendimento sexual é chave em qualquer relação mas todos os outros factores são importantes e a honestidade é um deles.
Numa relação de equilíbrio entre a luxúria e a paixão, o que poderá envenenar a vida de Björn e Melanie?
Estará Björn preparado para deixar de ser um solteirão cobiçado para se tornar “exclusivo” de uma só mulher?
Ou será Melanie a teimosa a não querer ver o que está à vista de toda a gente?

“Surpreende-me” dá-nos uma história que nos faz sorrir, que nos leva de volta aos encontros mórbidos e nos faz pensar que dizer tudo como os malucos por vezes resulta, isto se o outro for igualmente louco.


Com banda sonora incluída, ao género que Megan Maxwell já nos habituou, somos embalados ao longo de mais tempo do que o habitual (em termos cronológicos) mas com doses ideais de comédia, sexo e romance. No entanto achei as quebras temporais apenas uma maneira de nos dar a ideia de "este dois são teimosos e vão deixar passar muito tempo até darem o braço a torcer".
No entanto Björn veio comprovar porque se tornou numa personagem querida para as leitoras. Um homem encantador, um amigo dedicado e um amante escaldante mas que no fundo não é perfeito e deixa o orgulho levar a melhor sobre si. Como já o conhecemos dos outros livros acaba por se tornar a personagem mais normal que li ultimamente. Esta é das poucas vezes em que considero que ser normal é bom :D
O mesmo se passa com Melanie que me fez sorrir e gostar dela desde que apareceu para levar Judith ao hospital no terceiro livro da trilogia Pede-me o que quiseres. Qualquer mulher que seja capaz de passar a perna e vencer um homem, enquanto pilota um avião e cria uma filha sozinha, merece a minha apreciação.

Como este livro acaba aqui, só posso dizer que de futuro estarei sempre atenta aos livros de Megan. Que venha o próximo! Y Azúcar!!

Ah a minha sugestão recai sobre a ideia de que será melhor ler primeiro a trilogia e depois este. Embora Surpreende-me se leia bem como um livro isolado, cair de para quedas no Sensations pode parecer um pouco desprovido de significado, aquele que as leitoras de Pede-me o que quiseres já obtiveram com a leitura da trilogia.

Boas leituras! :D

Deixo-vos a opinião à trilogia
 
E a entrevista com a Megan Maxwell

Uma autora que nos chega pela mão da

3 comentários :

EfeitoCris disse...

conheço essa leitora ;)

Raquel Moreira disse...

concordo q é melhor ler a trilogia antes de ler este, embora seja independente a história.

ElsaR disse...

Sim é mas já estás apresentada ao mundo em que Björn se movimenta