Pesquisar neste blogue

A carregar...

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Opinião a "It Ends with Us"

Passaram-se seis dias desde que li o mais recente livro da Colleen Hoover e ainda acho que não consigo formular uma opinião coerente sobre a história e sobre os sentimentos que me assolaram por completo.


Brutalmente belo e destruidor, "It ends with us" é o livro mais pessoal que a autora escreveu até à data e talvez aquele que mais lágrimas conseguiu roubar aos seus leitores.
Conhecemos Lily num dia que em diz adeus um familiar. Dividida entre as aparências e a sua verdadeira vontade, Lily deixa sair a verdade num verdadeiro momento "drop the mic".
É nesse mesmo dia que conhece alguém com quem rapidamente traça uma linha que não deve ser ultrapassada. Enquanto um procura um caso passageiro, o outro quer o que um dia lhe escapou como areia entre os dedos. Decididos em ser honestos um com o outro, travam uma batalha de verdades que colocam a nú os seus mais obscuros pensamentos, o que acaba por criar entre si uma conexão difícil de esquecer.
Mas a vida tem os seus próprios planos e Lily finalmente tomou rédea dos seus ao dar os primeiros passos na concretização do seu sonho de ter um negócio próprio. E quando tudo parece se encaminhar no sentido certo, em que a nossa heroína tem tudo com que sonhou, lá vem novamente o destino fazer das suas ao trazer ao presente o que ficou algures perdido no passado.

Agora....
eu podia continuar a falar sobre o que se passou, sobre a Lily (que rapidamente se torna uma amiga), sobre o Ryle (por quem nos apaixonamos em meia dúzias de páginas), sobre o Atlas (a quem queremos agarrar e nunca mais largar), sobre a mãe, sobre a amiga, sobre o passado, sobre o presente, sobre os sorrisos, sobre as lágrimas, sobre o friozinho na barriga, sobre os tremores que se seguem à impotência de nada podermos fazer para mudar na vida de alguém que caí de paraquedas na nossa, sobre o quanto este livro nos joga num perpetuo vazio que nos ataca bem no centro do peito quando percebemos que pior que amar alguém é odiar quem se ama.....ahhh...podia inclusive falar novamente de como o título deste livro permite, em português, fazer um trocadilho que encaixa completamente no estado mental com que terminamos a leitura MAS não o vou fazer.

Sabem o que vou fazer em vez disso?
Vou sentar-me aqui a ouvir as músicas que fui compilado para a playlist da Elsa sobre "It ends with us" e esperar pacientemente pela edição portuguesa deste livro para que depois tenha alguém que me compreenda.


Também posso emprestar este livro a dois ou três amigas que vão ler e viver a mesma coisa que eu...
não quero estar sozinha à deriva neste mar de lágrimas.

Mas em vez disso deixo aqui esta referência. Há quem a tenha adoptado desde 2003, há quem veja nela um novo significado em 2016.
​É algo que digo para mim tanta vez. 
"Just keep swimming" :) 

Sem comentários :