Pesquisar neste blogue

A carregar...

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Opinião :: "O Amante" - Ai Este Homem...

Qual Christian Grey ou Gideon Cross, há um novo homem para quem desviar atenções, ele chama-se Jesse Ward.
Este homem...ai este homem. Só com o título dava para fazer uma crítica.
Este homem é inacreditável
Este homem tira qualquer pessoa do sério.
Este homem é um droga, é crack masculino e Ava é uma agarrada desde a primeira toma.


Abençoada Jodi por nos ter trazido personagens que apresentam qualquer coisa de novo e compõem um cenário intrigante enquanto desenvolvem uma compulsão desmedida um pelo outro.
Conhecemos Ava num caminho próspero como designer de interiores em plena Londres, com a bonita idade de 26 anos e uma recente separação na bagagem emocional. A última relação embora longa foi cheia de espinhos com um ex namorado traidor como companhia. No entanto, Eva não se sente minimamente arrasada com a situação, está até a aproveitar, pela primeira vez em muitos anos, a liberdade de ser solteira. Encontra-se a viver de empréstimo em casa de uma amiga, gosta de beber uns copos, de sair para dançar e aproveita todo o seu tempo e atenção para se esmerar no seu trabalho.

Tudo muda no dia em que, atráves de um projecto no trabalho, se desloca aos arredores de Londres, onde está localizada a Manor (A Mansão) e onde irá reunir com um novo cliente, Jesse Ward. Ava pensava que ia encontra uma Mansão do estilo tradicional e um velho de casaco de tweed mas não podia estar mais enganada. É com espanto que entra luxuoso “hotel” Manor e maior a surpresa quando se vê cara a cara com Jesse e este é de tirar o fôlego. Na realidade, deve ter poder de fazer saltar peixinhos do mar para o seu colo tal a descrição detalhada de como é magnífico :) (não são todos assim, hey “book boyfriends”!!)
E Ava é um desses peixes, inicialmente ainda foge e resiste mas acaba bem enredada na rede, restrita de movimentos, paralisada pela beleza, poder e a avalassaladora presença de Jesse Ward na sua vida, como cliente, como amante, como homem.

Dei comigo a consumir este livro com a mesma cadência maniaca com que as personagens se envolvem e têm incontáveis sessões de sexo, inicialmente casual mas que rapidamente evolui para um sentimento intimo e uma necessidade de possuir o outro.
A formula do milionário controlador continua a dar frutos mas ESTE HOMEM não me encheu completamente as medidas, assim como o livro. Li mas não adorei, não me deixou presa no fim uma vez confimadas as minhas suspeitas. Eu não gosto de gostar apenas, eu gosto de ficar de quatro (sim, façam lá a piada!)

As respostas às perguntas sobre a Manor e o passado de Jesse ou até mesmo os romances paralelos à história do casal despertaram em mim mais curiosidade do que o desfecho do drama que é a relação entre Ava e Jesse.
Ele é manipulador, controlador, excessivo e instável. Salva-se o facto de ser suficiente para a deixar de rastos sem recorrer a adereços. Isso é um ponto a favor do Jesse e da história (por enquanto!) mas nunca pensei dizer a seguinte frase “este livro tem demasiado sexo”. É, verdade, acabaram de ler isto. Acabamos por ter avalanches de cenas de alto calibre sexual (explícitas, bem escritas, interessantes) embrulhadas numa quantidade enorme de vezes que Ava e Jesse discutem e que somos levadas a pensar “raios, qual de vocês é que quer levar um estalo primeiro?”

Curiosamente, é Ava que me tira mais do sério. Cai de quatro (literalmente!) por Jesse, não sabe quase nada a seu respeito, é completamente controlada e manietada por ele e embora bata o pé, dá sempre o braço a torcer em troca de alguns orgasmos. Bom sexo faz as pessoas dizerem sim a muita coisa mas há limites.
E é quando ela testa os limites que vemos a natureza de ambos, explosiva e ordinária. Eles fazem sobressair o pior um no outro, o que poderia ser bom porque permitia à outra parte conhecer o lado mais negro e aceitar os sentimentos mas não, amor é coisa que nunca é abertamente falada neste livro. A parte física é tão grande que embora os sentimentos estejam lá, parece que existem coisas que os corpos não conseguem dizer e a falta de comunicação, como em qualquer relação, é fatal.

Sei que talvez seja eu a precisar de férias de livros eróticos mas preciso de ler os livros todos da trilogia para saber mais e ter uma visão geral, até lá, o misterioso e irascível Jesse precisa de controlar o mau feitio e a intempestiva e teimosa Ava tem de deixar sair cá para fora o que pensa e tem de aprender a tomar rédeas da situação (um pouco de poder e controlo nunca fez mal a ninguém)

Talvez as estrelas subam com a leitura do segundo livro, talvez saiba porque os dois agem assim e perca a vontade de lhes dar dois tabefes. Agora beijem-se e façam as pazes!

PS: QUERO SABER MAIS SOBRE A MANOR :) (adorei ter acertado no conceito do que era realmente o “hotel” de Jesse)
Quero saber mais sobre Sam (o misterioso amigo de Jesse) e Kate (cake maker amiga de Ava), adorei a química deles.
Bem, na realidade, quero ler o resto da trilogia!

Melhor parte é que não vou ter de esperar muito. O Segundo livro, “Obsessão” sai este mês, dia 23.
E o terceiro, "Confissão" está previsto para Setembro.

Uma trilogia bem quente da

4 comentários :

Helena Duque disse...

Terrivel, terrivel, terrivel!
Já me estou a ver a substituir os chatos livros da Universidade por estes belos romances! Enquanto escritora, só espero um dia ser capaz de arrancar uma opinião destas a algum leitor!

Obrigada pela sugestão, terei de o ler, evidentemente! Já estou a participar no sorteio :)

Beijinhos xx

ElsaR disse...

Boa sorte Helena!!

Anónimo disse...

Não. Li a trilogia This man, li 50 Tons, mas Gentennnn!!!! Jesse é demais!!!!!

SANDRA MARA Souza disse...

Péssimo romance. Li 3 livros tentando encontrar algo que justificasse tanta dominação/submissão, mas foi uma decepção. Plagio exagerado da trilogia 50 tons de cinza.