Pesquisar neste blogue

A carregar...

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Opinião :: "Uma semana para te amar" de Monica Murphy

1 semana, 2 pessoas, 3 mil dólares e um milhão de razões que me fazem adorar “Uma semana para te amar”.
Uma história que se passa em pouco mais de uma semana (e 208 páginas) foi consumida, por mim, em algumas horas. De cada vez que parava para retomar a minha vida diária, em momentos banais como trocar de transporte público ou chegar ao fim da hora de almoço/leitura, dava por mim a  não querer deixá-los sozinhos, a desejar chegar ao fim de mais um capítulo.

" O que está atrás de nós e o que está à nossa frente são questões ínfimas, comparadas com o que está dentro de nós"
by Ralph Waldo Emerson

Conhecemos Drew, o menino bonito da equipa de futebol da faculdade no momento em que toma a intempestiva decisão de “contratar” alguém que se faça passar por namorada dele na seu regresso a casa para o dia de Acção de Graças. Para quê perguntam vocês? Para que ninguém o chatear ? Para chocar a família ? Para não pensarem que Drew “joga para a outra equipa”?
Sabe-se lá!
Por esse motivo e graças á reputação colorida de Fable, empregada de bar e principal sustento de um lar com um lar com mãe alcóolica e irmão adolescente, Drew vê nela a pessoa ideal para levar a casa nessa semana.
A proposta, por mais que escandalize Fabel de início, é tentadora. Ela precisa do dinheiro e ele da companhia e nenhum quer problemas, principalmente amorosos. Tudo parece muito mecânico e comercial, até ao momento em que juntos se dirigem para a casa da família de Drew.
Imaginem o Pretty Woman, numa versão dos 20 anos, com uma Vivian que não trabalha na vida e um gajo rico com muitos mais problemas emocionais que o Edward. Imaginaram? Então devem estar perto.

Uma semana na mega casa da família Callahan testa a capacidade de sobreviver às provocações familiares e à forte possibilidade de ambos começarem a olhar um para o outro de maneira diferente.
E se olham!
No entanto, Fable e a sua falsa reputação em nada contribuem para a sua auto-estima, na mesma medida que Drew se tem mantido afastado das mulheres que quiseram entrar na sua vida. São dois poços de inseguranças e problemas mas que, uma vez confrontados com a realidade da família de Drew, desenvolvem uma capacidade de cooperação e entreajuda brilhante. E assim nasce algo mais, um continente inteiro de desejo, compreensão e a caminhar a passos largos para o amor. Nasce a Gronelândia de Drew e Fable!

E raios, mesmo sabendo o que nos espera (eu só fui apanhada na curva num detalhe!), a história de Fable e Drew tem momentos avassaladores, quer os de potencial romantico, quer os outros, os que nos fazem arrepiar.
Andei a leitura toda a tentar lembrar-me que outra história que li recentemente que tinha um detalhe que me fazia lembrar esta. Lembrava-me que me tinha agarrado de igual forma à leitura. Bem, para ser sincera, essa amarrou-me por completo e só quando estava a escrever esta crítica é que me lembrei do título que me estava debaixo da língua “Hopeless - Um caso Perdido”. A Topseller anda a sacar as cartas certas :) Mas é apenas um detalhes, Hopeless é uma coisa completamente à parte de tão espectacular que é!

E agora, em honra do filme mencionado anteriormente, ao qual os próprios personagens se comparam a certa altura, deixo ficar uma das músicas que mais gosto e que se insere bem no final do livro

A Opinião a "Vou amar-te para sempre" será lançada amanhã. 
Até lá, boas leituras!
Monica Murphy fica decididademente na minha wishlist :D 

1 comentário :

Daniela RC disse...

Sem dúvida que a história de Drew e da Fable é fantástica!
Concordo plenamente, a TopSeller está a apostar em grandes livros :D