sábado, 14 de novembro de 2015

Opinião "As Gémeas de Gelo"


Wow, é o comentário desta leitora que gosta de intercalar os seus habituais romances com alguns livros diferentes e "As Gémeas de Gelo" cumpre com todos os requisitos ao proporcionar uma profunda e arrepiante viagem à vida dos Moorcroft, uma família devastada pela morte acidental de uma das suas gémeas.
Angus e Sarah viviam uma magnífica vida em Londres, com as suas duas gémeas mais que perfeitas, tão lindas, iguais e únicas mas desde o dia em que a tragédia bate à sua porta e a morte levou uma das suas gémeas que a normalidade e a perfeição é algo que dificilmente se encaixa na vida dos Moorcroft.

Uma mãe devastada, um pai que afoga a dor no álcool e uma filha que perdeu a sua gémea e que começa a perder também a sua identidade. 
Que segredo esconde o dia do acidente? Poderá um equívoco revolucionar a vida da família Moorcroft, obrigando-os a prolongar o luto não por uma filha mas pela que ele a julgavam estar viva?
Poderá a mudança para uma ilha isolada ser o curativo que esta família precisa ou o catalisador para mais desgraça? 

Além de a história ser arrepiante, se pararmos para pensar em tudo o que vamos descobrindo desde a mudança de Londres para a ilha, especialmente com a confissão da identidade da gémea sobrevivente e com a visão que a troca de narrador entre Angus e Sarah proporciona, o autor consegue ainda tornar tudo mais sombrio com as descrições detalhadas da zona onde se localiza a Ilha.
O enredo, onde somos levados a repensar o que sabemos ao longo da história toda, prende-nos na busca pela verdade mas também nos leva a viajar pelas Terras Altas da Escócia. Desafio-vos a googlarem os vários locais mencionados para que, de modo a completar a detalhada descrição do ambiente que os rodeia, consigam visualizar por completo o local gélido, isolado, cru mas estranhamento idílico que é a ilha (embora fictícia), parte das Hébridas no mar do norte.
E é do isolamento avassalador de Eilean Torrean, a ilha trovão, a que os Moorcroft chamaram de casa que desenrolamos o intrincado novelo de segredos, mentiras e culpa que amarra um pai, uma mãe e uma filha a um evento que os marcará até ao fim dos seus dias.

Soberbo este livro de estreia de S. K. Tremayne, um nome que fica irremediavelmente no radar

Uma leitura que prendeu esta leitora que ocasionalmente se aventura no género e que eu espero que agrade a leitores fieis e aos esporádicos como eu.

Boas leituras!

Uma aposta

1 comentário :

Biscoita disse...

Este é um dos livros que ando a namorar há algum tempo :D