quarta-feira, 22 de setembro de 2010

O sono e a Leitura

Ler, normalmente não me dá sono, mas se o local a tal convidar é sempre difícil resistir, por isso esta semana é definitiva... vou fazer um cantinho para leitura... desta vez a sério...

Algumas inspirações:







Há dias assim...

Há dias assim...










em que a gente enfia a cabeça num livro e simplesmente lê, lê sem parar!


Depois há os outros dias...









em que a gente só consegue enfiar a cabeça na almofada e o livro adormece sem ser tocado, lido, folheado...

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

9 Plantas do Desejo de Margot Berwin


Sinopse
Pouco depois do divórcio, a publicitária Lila Nova compra a sua primeira planta.
Trata-se de uma exuberante estrelícia e o vendedor é David Exley, um agrossexual rude, que promete fazê-la ver estrelas. Lila fica imediatamente obcecada - pelas plantas e pelo homem que as vende - mas, quando David a inicia no mito das nove plantas do desejo e depois de ela conhecer um homem chamado Armand que diz possuí-las todas, a sua obsessão alcança dimensões inesperadas.
Porque, segundo a lenda, se ela encontrar todas as plantas, verá cada um dos seus desejos mais profundos realizado.
Mas Lila confia em quem não deve e, em breve, ver-se-á envolvida numa aventura inesperada: no coração do Iucatão, sozinha, com uma mochila carregada de guias turísticos e um champô demasiado caro, acabará por desvendar os mistérios da selva - e da sua própria vida. 
Com uma breve pesquisa passo a explicar o que fique a entender ser um agrosexual.
  • a male who has farmed or currently farms and displays strong metrosexual tendencies
Pelo que Lila, a heroína da história descreve, um agrosexual é um homem arranjado e preocupado com o seu aspecto que não se importa...PERDÃO....que gosta de sujar as mãos na terra.
Tinha de começar por aqui visto que toda a gente, incluindo eu, franzimos o nariz quando nos deparamos com esta expressão. Já tínhamos ouvido falar dos metrosexuais, esta é a versão mais "do campo".

COnfesso que não sou grande apreciadora de plantas, de facto, elas morrem com facilidade à minha volta. O facto de me esquecer delas não abona muito à sua existência.
Curiosamente este livro agradou-me imenso, especialmente pelas curiosidades interessantes sobre as plantas, as 9 plantas dos desejos e as outras que vão aparecendo ao longo da história.
Voltamos a uma mulher divorciada, assim como ELizabeth Gilbert em "Comer, Orar, Amar" e começo a achar que este é um mercado a florescer. 
Se habitualmente as mulheres compram livros por se identificarem com a personagem, com tema ou história temos, neste livro, meio caminho andado para um bestseller.
Mulher divorciada, corajosa e decidida parte numa aventura pela selva Mexicana. Bem, em tempos mais desanimadores como os dias de hoje, nada como ouvir falar do sucesso de alguém como nós para nos motivar a andar para a frente.
Parabéns Margot Berwin, Elizabeth Girlbert e muitas mais, toca a florescer o mercado de livros PushUP das mulheres de todo o mundo.



Este livro é uma viagem pelo mundo das plantas, dos homens, da mente feminina e das suas grandes falhas em se compreender a si mesma.

PS: a capa tem uma textura espectacular. Bela tirada Senhores da Porto Editora
Ah e o filme está a ser "feito"....staring Julia Roberts :D novidades novidades!!!

"Highlander - Amante Imortal" de Karen Marie Moning

ATENÇÃO: Macho alfa letalmente sedutor, de uma força imensa e sombrio erotismo. Não olhar. Não tocar. Não se deixe tentar. Não se deixe seduzir…

 
Sinopse:
Com os seus longos cabelos negros e olhos escuros magnetizantes, Adam Black significa Sarilhos com S maiúsculo. Imortal, arrogante e intensamente sensual, ele vive através dos tempos e dos continentes em perseguição dos seus apetites insaciáveis. Até ao dia em que uma maldição o destitui da sua imortalidade e o torna invisível - cruel destino para homem tão irresistível. Agora a única esperança de sobrevivência para Adam está nas mãos da única mulher que o pode realmente ver.
Para Gabrielle, uma estudante de Direito amaldiçoada com a capacidade de ver ambos os mundos, é o início de uma longa e perigosa sedução. Quando a demanda de Adam para recuperar a sua imortalidade os faz mergulhar num mundo de magia intemporal, o preço da rendição bem pode ser a própria vida. Tudo por um destino que poucos mortais jamais conhecem: um glorioso, assombroso, infindável amor… 

A minha opinião
Prazeroso, devo dizer que sim.
A meio do livro cheguei a achar que o calor que sentia (embora estivesse na praia) não se devia  só ao sol.
Imaginar a personagem principal, Adam Black é um exercício que permitia clonar umas mão cheia de homens bons e junta-lo num só.
Inicialmente, todo o conceito Fada soava-me um pouco ridículo. Vá a minha mente de abstrair da Sininho e imaginar um homem de 1,90m, musculado e interessante.
Gostei imenso do livro, tive pena de não ler os anteriores visto que fala de uma zona que me agrada muito, as Highlands. Já não é o primeiro livro que leio que aborda o tema, embora o género seja todo o mesmo....fantástico, fantástico erótico ou o que é que se chama ao tipo de livros que gosto de ler e que me entretêm e muito.

Acho que é fiel ao seu género e para quem gosta, como eu, de certeza que vai adorar Adam Black :D

:D

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

"Um dia" de David Nicholls


"A totally brilliant book. Every reader will fall in love with it"
Tony Parsons

SINOPSE
Podemos viver toda uma vida sem nos apercebermos de que aquilo que procuramos está mesmo à nossa frente.

15 Julho de 1988 
Emma e Dexter conhecem-se na noite em que acabam o curso. No dia seguinte terão de seguir caminhos diferentes. 
Onde estarão daqui a um ano? e no ano depois desse? E em todos os anos que se seguirão?

:) 
Opinião
A ideia geral da história foi a razão principal da minha compra.
Sabia que este livro me ia tocar, fazer soltar uma lágrima e sorrir compulsivamente nos detalhes cúmplices de uma amizade que eu em tempos vivi.

Este livro fez-me pensar, analisar e chegar a algumas conclusões, sobre a realidade e a ficção.

Ema disse: "Eu amo-te, sempre te amei, mas não gosto de ti neste momento".
Por vezes os nossos actos nem sempre são fieis aos nossos sentimentos. Chamem-lhe inocência, ingenuidade, despreocupação, falta de interesse ou até cegueira emocional, mas por vezes, necessitamos de uma luz que nos ilumine os pensamentos e nos leve a ver o que realmente importa.
Seja para o bem, seja para o mal.

Um dia.....deveria dizer, um dia olhamos para trás e percebemos que gostar da mesma pessoa durante anos sem se ser correspondido é como andar às voltas num labirinto. São todos misteriosamente belos mas andamos por lá perdidos na ilusão que um dia conseguimos encontrar a saída. Damos voltas e voltas até chegar a becos sem saída. 
Somos como hamsters domesticados, entretidos nas nossas rodinhas, sem sair do lugar, contentes porque nos dão comida e água mas ansiamos sempre que nos tirem da jaula e nos levem para o colinho enquanto vêem televisão no sofá.

Amar alguém que nos vê como amigo bate forte, como Emma e Dex, "bate" durante anos. A todos os que um dia tiveram ou ainda têm uma história à Emma e Dex, não hesitem em ler este livro. Pode ser encarado de tantas maneiras diferentes, tudo difere do estado de espírito e do nível de aceitação em que estão.

A mim, fez-me sorrir por algo do passado e que já não volta. 

Quando ao autor, David Nicholls tem mãos mágicas a escrever guiões porque ao longo de cada página a minha mente foi imaginando todas cenas, todos os detalhes, por isso, PARABÉNS DAVID NICHOLLS, fiquei fã.
Honestamente, espero que façam um filme deste livro. 
:)
A surpresa é....
fizeram!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Só no escuro podes ver as estrelas, Cristina Boavida

Fugirias com alguém que não conheces?
Fugirias ainda para mais com alguém que meteu outros em perigo?
A tua vida é assim tão chata que desaparecias com um estranho, sem saber para onde vais?
O que farias para mudar a rotina e o aborrecimento na tua vida? Embarcar numa nave espacial?

Eu não saberia bem o que responder, mas as aventuras de Sofia saberão com certeza!


Um livro inesperado, mas bem contextualizado nas tendências actuais da literatura juvenil.

Revelou-se um bom presente.

Augusto Cury

O pai da inteligência multifocal e investigador dedicado às temáticas de qualidade e vida e desenvolvimento da integilência chega até nós com o Livro "O Chamamento" ou o Volume I do Vendedor de Sonhos, relatando a história inesperada de um maltrapilho, dono de uma inteligência fora do comum, de um poder de argumentação extraordinário e ainda de uma capacidade social muito grande. O vendedor de sonhos vai reunindo à sua volta pessoas desesperadas que encontram nas suas palavras o conforto e a compreensão que não encontraram em parte alguma da sociedade onde estavam inseridos.

Esta saga do pensador maltrapilho, continua no segundo livro, "A revolta dos anónimos", o qual fiquei um pouco desiludida pois parecia que estava novamente a reler o primeiro livro, talvez os lesse próximos demais, até porque todos os livro, até agora lidos de Cury, foram sem dúvida autênticas fontes de conhecimento e provas da sua sabedoria como comunicador e terapeuta. Assim, fica a vontade de pegar novamente no volume II, até porque já saíram mais 2 ou 3 títulos novos. E eu ainda tenho tantos outros dele por divulgar aqui no blogue e desde já vos digo que o melhor de todos foi, sem dúvida, "Maria, a maior educadora da História", mas isso fica para depois...

Ameland?

Ameland, a ilha hostil inóspita para onde um jovem faroleiro é enviado, uma ilha onde o calor humano ou simplesmente a socialização fica muito a dever à normalidade e ao desejável, ainda assim, este jovem proibido de ir para o mar descobre em terra o seu próprio naufrágio.

Mais não digo, leiam, pois é altamente viciante, apesar de ser ler em 2ou3 horas eu quis levar 2 ou 3 dias de tão bom que era.

A aguardar por mais de Herman Neira

terça-feira, 7 de setembro de 2010

O Homem que sonhava ser Hitler, Tiago Rebelo


O Homem que sonhava ser Hitller, é um dos mais recentes romances de Tiago Rebelo. No entanto a minha "relação" com os romances deste autor já é longa data, mas nem sempre tão proveitosa como com este último romance, que  é para mim, quase um policial político!?!? (se é que esta categoria existe).
Depois de ter lido "És o meu segredo" e ter gostado bastante, percebi que já me tinha cruzado com este autor em "Não vou chorar o passado" e com a obra infantil "Amarguinha" com a qual fiz alguns trabalhos de literatura infantil no meu segundo ano de Licenciatura.

Voltei mais tarde às leituras de algumas das suas obras com "Encontro em Jerusalém" e "O Tempo dos Amores Perfeitos", ambos lidos nas férias, fruto das requisições na Biblioteca. Devo dizer que ter lido, assim, de rompante logo dois romances e do mesmo autor, talvez tenha condicionado o acesso a futuras obras de Tiago Rebelo, já que o tipo de literatura que consumia era de outro género, por isso alguns anos depois cá estou eu com esta sua nova obra, cujo o título me despertou enorme interesse, ou não fosse eu ter um fanático pela 2ª Guerra Mundial/Hitler em casa...

Surpresa, surpresa... O Homem que sonhava ser Hitler foi lido pelo Paulo com elevado empenho e foi partilhando comigo algumas passagens que aguçavam a minha curiosidade e quando passou para as minhas mãos foi lido com a mesma energia e voracidade para que percebesse o desfecho desta história actual, política e que nos levou a muitas conversas paralelas.

Mais info do autor em http://www.tiagorebelo.com/

Tiago Rebelo oferece-nos esta leitura insaciante que nos deixa  preocupados em saber o que acontece a seguir, são diversas histórias que se cruzam e que estão invariavelmente ligadas por  ideias e crenças políticas, tendências ou simplesmente ideais mais frescos e pouco fundamentados que nos fazem criar para esta história diversos desfechos possíveis. Quase que loucamente, o leitor perde-se em teorias e acaba sempre por estar enganado, o que aumenta ainda mais a curiosidade de ler e ler incessantemente até chegarmos ao fim.

O final é impensável, tão simples e quase hilariante, isto se tivermos em conta todas as nossas especulações (minhas e do Paulo) , talvez por ser um tema tão actual e tão discutido, tanto em Portugal como no contexto Europeu, especialmente com o surgimento, cada vez mais de políticas e tendências nacionalistas e de extrema direita.

Leiam e depois digam-me quem é que sonhava ser Hitler!!!???


Se pretender adquirir este livro, visite a Livraria Efeito dos Livros
Carregue na imagem e visite-nos:


segunda-feira, 6 de setembro de 2010

para não fugir ao tema...

Depois de Henry Miller ficasse sem dúvida com os sentidos mais despertos e mais curiosos e, como é claro muitas conversas e risadas já se deram entre amigos por causa deste livro e em menos de 2 semanas já três pessoas o leram e os comentários são hilariantes, por isso para não fugir ao tema e expandir os nossos conhecimentos adquiri "Sexualidade, uma breve introdução", de Veronique Mottier.

Uma obra que nos pretende elucidar para a evolução da sexualidade, a definição de conceitos e a abertura para novas tendências.

Um livro muito interessante e que nos deixa com curiosidade de expandir as nossas leituras, especialmente em áreas que desconhecíamos ou das quais tínhamos pouca informação, no meu caso, fiquei bastante surpreendida com alguns factos ou datas, especialmente relacionados com a aceitação e clarificação da homossexualidade e tendências dai consequentes, bem como as políticas eugénicas.

Um relato interessante de ser ler, recomendo!

Literatura Erótica

Não quero parecer inocente ou enjoada, mas não sei se deva dizer que este livro pertence à literatura erótica se a algum género dai descendente que seja considerado pornográfico. Sim é demasiado explícito, quem sabe talvez seja esse o encanto de Henry Miller, porém há passagens que ficaríamos melhor apenas as imaginar pelas nossas próprias representações, mas não, ele faz questão de nos devolver cada minuto, cada imagem, através das mais bem escolhidas palavras, dotadas de quase o que possamos considerar resquícios de malvadez ;)

E tenho de confessar que fiquei mais curiosa com Sexus, Nexus, Plexus... mas quero arranjá-los antigos, tal como tenho o Sexus.

de férias terminadas ...

As férias terminaram, mas a vontade de leitura e de relax, essas continuam sempre! Mas vale a pena dizer que o Verão, as férias são um tempo privilegiado de leitura.

Por isso e apesar de ter ido encetado para as férias, Marakami foi um bom companheiro para as Valhelhas;)



Apesar de não nos querer incentivar ou vender a ideia de que a Corrida é a melhor actividade física que um ser humano pode ter, a verdade é que a leitura do seu "Auto-retrato" me deu vontade de correr... algumas das vezes de correr até água em Valhelhas e correr de volta para a toalha apanhar banhos de sol, pois o autor tem toda a razão quando diz que "o sofrimento é uma escolha" e, por enquanto, correr para mim é mesmo um sofrimento!!!

Contudo, o livro de Murakami está muito bem escrito e até bastante encorajador, apesar de ele nos referir que não é esse o seu interesse, ainda assim sentimos nas suas palavras o quanto é importante a sensação de ser capaz de terminar uma Maratona ou quem sabe uma Ultramaratona ou até participar numa prova de Triatlo.

Para mim todas as situações são familiares, porque tendo quem goste de correr à minha volta ou até quem participa e lida com as vicissitudes do Triatlo, o livro tornou-se ainda mais delicioso de ler e ficou a ter bastante significado para mim.

é sem dúvida um guião para a auto-determinação, para a motivação e força pessoal, mostrando o quanto a persistência pode ser uma qualidade essencial para que nos sintamos vivos!


Este livro, faz-me ter ainda mais curiosidade por outros do mesmo autor, essencialmente...





sexta-feira, 3 de setembro de 2010

"Um dia" de David Nicholls

"Um dia" de David Nicholls insere-se na categoria de "este livro dava um filme".

Consigo traçar na minha mente os planos perfeitos para cada cena. A incidência da luz ao mergulhar no quarto sobre dois estranhos amantes entrelaçados que aproveitam as últimas horas de uma noite que não dormiram.
Consigo ver o personagem masculino a deambular por Roma, confiante no seu charme bóemio, enquanto aquela luz maravilhosa o envolve...consigo, acima de tudo, apenas estando na 38º página, saber que vou adorar este livro.
Nas primeiras dez páginas encontrei o ponto de familiarização com a minha realidade e estou, alegremente a passar páginas, no livro da "amizade" entre Dexter e Emma.

Pior que "viver a vida inteira sem nos apercebermos de que aquilo que procuramos está mesmo à nossa frente" é saber o que temos à nossa frente e não fazermos nada para que seja nosso.