quinta-feira, 28 de março de 2013

Comecei a ler... «O Vento dos Outros»



Sinopse
Viajar, à semelhança de escrever ou guerrear, é um frívolo segundo de desabafo; é uma meditação e um descanso. É viver de ideias novas, porque nunca estancam. Uma viagem é uma obra por fazer. É como uma vida inteira, em ponto pequeno. Viajar é ser um pouco vento, participar da sua magia de forma microscópica.

*

Excerto

«Nas primeiras horas estava sonolenta e distraída, mal olhava lá para fora. Por isso, quando me apercebi, entendi com surpresa que os Andes se foram dissolvendo, tornando-se rochosos, castanho-claros e, subitamente, transformaram-se em areia. Primeiro a areia subia os montes, numa escalada invasiva, como térmitas silenciosas que tudo querem devorar. Mais adiante passavam a formar dunas, com o traço perfeito das montanhas. De um momento para o outro estava rodeada por elas, perfeitos montes mortos que a chuva abandonou há muito tempo e que, se têm vida, não se manifesta através da mais pequena tira de erva. Mais ainda, tentavam invadir a estrada que as rodas dos veículos pesados expeliam para fora. Chegara ao deserto...»


Continue a ler... e viaje por aqui

... tenho tantas saudade de uma viagem ;)

2 comentários :

helena frontini disse...

Ainda não li nada desta autora, mas o excerto promete. Boa Páscoa.

EfeitoCris disse...

promete sim!
e faz-me muita falta viajar ;)
nem que seja nas palavras da autora.